Modelos

Modelos podem ser usados para reduzir o comprimento e a complexidade das solicitações que compõe várias camadas de imagem ou que incluem texto formatado em rtf.

As variáveis personalizadas podem ser usadas para simplificar ainda mais o uso do modelo. Geralmente, os modelos são configurados para permitir a fácil troca de imagens ou texto ou a definição de outras opções no tempo de execução.

Os modelos são armazenados como registros em catálogos de imagens, com o corpo do modelo no campo catalog::Modifier e o campo catalog::Path vazio ou especificando uma imagem de plano de fundo estática que não pode ser alterada dinamicamente.

Os modelos são especificados com o comando template= ou no componente de caminho do URL da solicitação. Para a maioria dos aplicativos, é recomendável usar o comando template= para especificar modelos. O comando template=não deve ocorrer no campo catalog::PostModifier e só pode ocorrer no campo catalog::Modifier em uma solicitação IS aninhada (ou seja, em uma construção src=is{...}). Os registros de modelo não podem ser referenciados nos comandos src= ou mask=.

Qualquer comando src= ou mask=incorporado no modelo pode resolver o catálogo principal da solicitação ou para um catálogo de imagem diferente. Se nenhum rootId for especificado explicitamente, o catálogo principal será considerado. O modelo especificado com template= também pode estar localizado no catálogo principal ou em um catálogo de imagem diferente.

É altamente recomendável sempre incluir definições padrão para todas as variáveis usadas em um modelo. Dessa forma, a saída da imagem do modelo sempre pode ser visualizada simplesmente especificando seus attribute::RootId e catalog::Id, sem precisar saber quais variáveis são usadas no modelo.

A variável de substituição de caminho predefinida $object$ pode ser usada para aplicar o objeto de imagem especificado no caminho de url a qualquer fonte ou máscara de camada ( src= ou mask=), mesmo em solicitações aninhadas ou incorporadas.

Nesta página