Noções básicas e uso do Journey IQ - Análise entre dispositivos

Os usuários interagem com a sua marca de muitas maneiras e em vários dispositivos. A Análise entre dispositivos está integrada ao Adobe Experience Platform Identity Service para identificar como os dispositivos são mapeados às pessoas. Em seguida, ele usa essa inteligência para criar uma visualização entre dispositivos do comportamento do usuário. Isso resulta na capacidade de analisar pessoas, não dispositivos.

Visão geral da Análise entre dispositivos

Eu não sou meus dispositivos

Os usuários interagem com sua marca de muitas formas e em várias "superfícies" ou "dispositivos". Eles podem usar um navegador da Web em um PC ou dispositivo móvel, ou podem usar um aplicativo para dispositivo móvel. Na análise digital tradicional, que se desenvolveu com a coleta de dados baseada em cookies, cada uma dessas superfícies é representada como um "visitante" único. Isso significa que cada um dos usuários humanos é representado como um múltiplo de visitantes únicos.

Veja um exemplo. Suponha que Isabelle interagiu com sua marca da seguinte maneira:

Isabelle é três visitantes
Jornada da análise tradicional

Usando a análise tradicional, a jornada de Isabelle é dividida em três partes. Ela é representada como três visitantes únicos, cada um usando um dispositivo diferente para executar tarefas isoladas. É necessário uma visão unificada, entre dispositivos, das interações de Isabelle. O Journey IQ: Cross-Device Analytics fornece essa visualização.

Isabelle é uma pessoa
Jornada da Análise entre dispositivos

Uma visualização entre dispositivos fornece análises melhores

Ter uma visão centrada em pessoas e entre dispositivos do comportamento de Isabelle pode fazer uma diferença significativa na sua análise. Por exemplo, a abordagem tradicional baseada em visitantes não fornece a visão completa da eficácia do canal de marketing. Vamos olhar para a jornada de Isabelle mais uma vez, focando qual canal recebe crédito pela visualização do produto e pela compra. Usaremos a atribuição last-touch para simplificar, mas o mesmo problema ocorre usando qualquer modelo de atribuição ao dividir o comportamento de Isabelle em visitantes separados. Usar a visão tradicional do mundo baseada em visitantes produz resultados muito diferentes, até mesmo enganosos:

Análise tradicional versus Análise entre dispositivos
atribuição de canal

Observe que, com a visualização entre dispositivos, o canal de email recebe crédito pela exibição do produto e pela compra, o que representa com maior precisão a experiência real de Isabelle.

Continue lendo para saber mais sobre:

  • Como a Cross-Device Analytics funciona
  • Pré-requisitos para a Cross-Device Analytics
  • Interpretação de dados entre dispositivos
  • Análise de dados entre dispositivos no Analysis Workspace

Como a Cross-Device Analytics funciona

Journey IQ: Cross-Device Analytics (CDA) integra-se ao Adobe Experience Platform Identity Service, utilizando tanto o Co-op Graph ou o Private Graph para identificar como os dispositivos são mapeados às pessoas. Em seguida, ele usa essa inteligência para criar uma visualização entre dispositivos do comportamento do usuário. A CDA inclui recursos e ferramentas imbatíveis para ajudar sua empresa a entender o uso de vários dispositivos e a experiência do cliente nesses dispositivos em suas interações com a sua marca. Ela está uma camada abaixo do Analysis Workspace para fornecer um insight profundo sobre a análise de públicos-alvo com base em pessoas e sobre a atribuição, segmentação e análise de jornada entre dispositivos usando ferramentas poderosas como o Fallout, Flow, Cohort, Segment IQ e Attribution IQ.

O Cross-Device Virtual Report Suite

A CDA é apresentada por meio de um tipo especial de Conjunto de relatórios virtuais entre dispositivos. Isso permite que você continue usando o conjunto original de relatórios baseado em dispositivos ao introduzir a análise entre dispositivos na sua organização. Configurar um Conjunto de relatórios virtual (VRS) de análise entre dispositivos (CDA) é fácil.

Na etapa um, do construtor de VRS, escolha o conjunto de relatórios que foi configurado pela Adobe como habilitado para CDA:

Escolha um conjunto de relatórios de base (fonte) habilitada para CDA
Conjunto de relatórios virtuais Etapa Um

Em seguida, ative o Processamento de tempo do relatório e ative a compilação entre dispositivos:

Ativar processamento de tempo do relatório e compilação entre dispositivos
Conjunto de relatórios virtuais Etapa dois

Termine a configuração do VRS e salve-a. O VRS da CDA será exibido no Analysis Workspace com um ícone especial ao lado dele, conforme mostrado abaixo:

Selecione o VRS da CDA no Analysis Workspace
Conjunto de relatórios virtuais Etapa três

DICA

Você pode criar quantos conjuntos de relatórios virtuais de CDA você desejar além do conjunto de relatórios de base habilitada para CDA.

Histórico de reiteração

Às vezes, pode levar um tempo para que seus usuários faça logon e para o Co-op Graph ou o Private Graph identificá-los e mapear os dispositivos de todos eles em conjunto. A CDA utiliza uma janela retroativa de até 30 dias, permitindo reiterar um visitante não identificado anteriormente como uma pessoa em até 30 dias retroativos.

Como isso pode ser de ajuda? Lembre-se da jornada da usuária Isabelle da discussão acima:

Cross-Device Analytics Jornada

É possível que a Isabelle não tenha feito o logon até realizar a compra, e que o Co-op Graph ou o Private Graph não mapeou os dispositivos de Isabelle até algum momento depois de sua compra. Mas os 30 dias retroativos da CDA permite que a CDA reitere o comportamento de Isabelle em nível de pessoa, fornecendo a visualização entre dispositivos necessária da jornada dela.

OBSERVAÇÃO

Já que o histórico pode ser reiterado, isso significa que os seus dados podem mudar com o tempo em um conjunto de relatórios virtual habilitado para CDA. Lembre-se disso ao comunicar insights de uma análise baseada em CDA.

Pré-requisitos para Análise entre dispositivos

A CDA está incluída com Analytics Ultimate. A partir de setembro de 2019, os clientes do Analytics Ultimate que atenderem aos pré-requisitos listados abaixo estarão qualificados para usar a CDA. Os pré-requisitos para a CDA são os seguintes:

  • Sua empresa deve ser membro do Adobe Experience Platform Identity Service Co-op Graph ou usar um Adobe Experience Platform Identity Service Private Graph.
  • Você deve implementar tudo o que for necessário para Co-op Graph ou Private Graph incluindo a Experience Cloud ID (ECID) e a sincronização da ID com o gráfico. Observe que, além dos requisitos técnicos, o Co-op Graph apresenta outros requisitos legais e contratuais.
  • No momento, não é possível usar duas organizações IMS com um único Private Graph, portanto, você deve padronizar em uma única organização IMS. Em alguns casos, é possível que um cliente com várias organizações IMS use o Co-op Graph em conjunto com a CDA.
  • O Co-op graph e Private Graph, bem como certos componentes do CDA são hospedados no Microsoft Azure. Isso significa que os dados do Analytics são copiados reciprocamente entre o centro de processamento de dados da Adobe e a presença da Adobe no Microsoft Azure. Alguns dados do Analytics serão armazenados no Azure. Sua empresa deve concordar com esse arranjo.
  • A CDA requer um conjunto de relatórios "entre dispositivos". Ou seja, o conjunto de relatórios que você usa para a CDA deve incluir dados de vários dispositivos diferentes ou "superfícies", como Web para desktop, Web para dispositivo móvel e aplicativo para dispositivo móvel. A partir de setembro de 2019, o volume de chamadas do servidor para o conjunto de relatórios deve ter 100MM de chamadas do servidor por dia ou menos. (Os limites do volume de chamadas do servidor aumentarão nos próximos meses.)
  • A partir de setembro de 2019, o Co-op Graph e Private Graph estarão disponíveis somente na América do Norte. A programação para a presença de gráficos na EMEA e APAC será anunciada em breve. Se você estiver nessas regiões, recomendamos que comece a verificar esses pré-requisitos agora, para que esteja pronto para o lançamento quando o gráfico estiver disponível.

Interpretação de dados entre dispositivos

Pessoas não visitantes

No Conjunto de relatórios virtuais da CDA, você verá algumas alterações. Por exemplo, a métrica Visitantes únicos foi substituída por duas métricas novas: Pessoas e Dispositivos exclusivos. Essas novas métricas fornecem um insight muito melhor sobre o tamanho do público-alvo.

Pessoas e dispositivos exclusivos
CDA Métrica de pessoas

No Construtor de segmentos, o contêiner do segmento Visitante foi substituído por um contêiner do segmento Pessoa. Usando um VRS da CDA, você pode criar segmentos entre dispositivos, como:

  • Pessoas que usam mais de um dispositivo
  • As pessoas que começam sua jornada em um dispositivo móvel e depois compram um computador de mesa
  • Visitas em que as pessoas usam mais de um dispositivo para realizar uma tarefa

Segmentos de nível de pessoa
Segment Builder Pessoa Contêiner

Persistência de dimensão

Em um VRS da CDA, dimensões como eVars agora permanecem automaticamente em todos os dispositivos. Por exemplo, uma eVar que é configurada como:

  • Alocação: Mais recente (último)
  • Expira após: Compra

agora, permanecerá automaticamente de um dispositivo para outro até que o evento de compra seja acionado.

Análise de dados entre dispositivos no Analysis Workspace

Análise de público-alvo com base em pessoas

Você já se perguntou quantas pessoas estão interagindo com a sua marca? Você já quis entender quantos e quais tipos de dispositivos eles usam? Como o seu uso se sobrepõe? Usando um VRS da CDA, você pode criar Diagramas de Venn entre dispositivos e histogramas de dispositivos por pessoa.

Análise de público-alvo com base em pessoas
Venn e Histograma

Flow entre dispositivos

Com a CDA e o Analysis Workspace, você pode visualizar como as pessoas estão mudando de um dispositivo para outro ao longo do tempo na Flow visualization. Você pode ver onde eles desistem em sua jornada, e onde continuam.

Flowcom CDA
Flow Visualization

Fallout entre dispositivos

Provavelmente você usa várias Fallout visualizations para analisar o desempenho dos usuários em uma determinada série de etapas antes de alcançar o sucesso. Você sabia que a sua visão dessas Fallout visualizations fica limitada ao usar as análises tradicionais baseadas em dispositivos? Para que uma sequência de etapas bem-sucedida, a próxima etapa deve ocorrer no mesmo navegador ou aplicativo que a anterior. Na análise baseada em dispositivos, você não consegue ver as pessoas que concluem com sucesso a próxima etapa em outro dispositivo.

Não se preocupe, a CDA tem a solução. A CDA cria a visualização entre dispositivos que torna o Fallout visualizations muito mais útil. Afinal, o que realmente importa é se a pessoa atingiu o objetivo no final, em algum lugar.

Falloutcom CDA
Fallout Visualization

Cross-Device Attribution IQ

Como a CDA cria uma camada de dados entre dispositivos no Analysis Workspace, toda a análise será aprimorada com uma perspectiva entre dispositivos. Um exemplo eficaz é por meio do Attribution IQ. O Attribution IQ no Analysis Workspace permite comparar vários modelos de atribuição lado a lado. Ao usar esse recurso com a CDA, é possível comparar como dispositivos diferentes contribuem para o sucesso.

Por exemplo, suponhamos que você queira entender com que frequência um celular é o primeiro dispositivo usado em uma interação que leva ao sucesso. Isso representa a "taxa de aquisição" do celular. A CDA e o Attribution IQ permite fazer essa análise:

Attribution IQcom CDA
Attribution IQ

Para obter mais informações, consulte a Cross-Device Analytics documentação de ajuda

Nesta página