Atualização do at.js 1.x para o at.js 2.x

A versão mais recente da at.js no Adobe Target fornece conjuntos de recursos avançados para sua empresa personalizar tecnologias de próxima geração no lado do cliente. Essa nova versão tem como foco a atualização da at.js para ter interações harmoniosas com aplicativos de página única (SPAs).

Estes são alguns benefícios do uso do at.js 2.x que não estão disponíveis nas versões anteriores:

  • A capacidade de armazenar em cache todas as ofertas no carregamento da página para reduzir várias chamadas do servidor a uma única chamada de servidor.
  • Melhore bastante as experiências dos usuários finais em seu site, uma vez que as ofertas são exibidas imediatamente por meio do cache, sem o atraso imposto pelas chamadas tradicionais do servidor.
  • Uma linha de código simples e uma configuração de desenvolvedor única para permitir que seus profissionais de marketing criem e executem atividades A/B e XT por meio do VEC em seus SPAs.

at.js 2.x Diagramas do sistema

Os diagramas a seguir ajudam a entender o fluxo de trabalho do at.js 2.x com Exibições e como isso melhora a integração de SPA. Para obter uma melhor introdução dos conceitos usados no at.js 2.x, consulte Implementação de aplicativos de página única.

Fluxo do Target com o at.js 2.x

Chama Detalhes
1 A chamada retorna o Experience Cloud ID caso o usuário seja autenticado; outra chamada sincroniza a ID do cliente.
2 A biblioteca at.js é carregada de modo síncrono e oculta o corpo do documento.
O at.js também pode ser carregado de forma assíncrona com uma opção que oculta previamente o trecho implementado na página.
3 Uma solicitação de carregamento de página é feita, incluindo todos os parâmetros configurados (MCID, SDID e ID do cliente).
4 Os scripts de perfil executam e, em seguida, fazem o feed na Loja do perfil. A Loja solicita que os públicos-alvos qualificados da Biblioteca de público-alvos (por exemplo, públicos alvos compartilhados do Adobe Analytics, Gerenciamento de público-alvo etc.).
Os atributos do cliente são enviados à Loja de perfis em um processo em lote.
5 Com base nos parâmetros de solicitação de URL e dados de perfil, Target decide quais atividades e experiências retornarão ao visitante para a página atual e para as exibições futuras.
6 O conteúdo direcionado é enviado de volta para a página, incluindo, opcionalmente, valores de perfil para personalização adicional.
O conteúdo direcionado na página atual é revelado o mais rápido possível sem cintilação do conteúdo padrão.
Conteúdo direcionado para exibições que são mostradas como resultado das ações do usuário em um SPA, que é armazenado em cache no navegador para que possa ser aplicado instantaneamente, sem uma chamada de servidor adicional, quando as exibições forem acionadas triggerView().
7 Os dados do Analytics são enviados ao servidores de Coleção de dados.
8 Os dados direcionados correspondem aos dados do Analytics por meio da SDID e são processados no armazenamento de relatórios do Analytics.
Em seguida, os dados do Analytics podem ser visualizados no Analytics e no Target pelos relatórios do Analytics for Target (A4T).

Agora, onde quer triggerView() que seja implementada em seu SPA, as Exibições e as ações são recuperadas do cache e mostradas ao usuário, sem uma chamada de servidor. triggerView() também faz uma solicitação de notificações ao Target backend para aumentar e registrar contagens de impressão.

Fluxo do Target com o at.js 2.x triggerView

Chama Detalhes
1 triggerView() é chamado no SPA para renderizar a Exibição e aplicar ações para modificar elementos visuais.
2 O conteúdo direcionado para a exibição é lido do cache.
3 O conteúdo direcionado é revelado o mais rápido possível sem oscilação do conteúdo padrão.
4 A solicitação de notificação é enviada para a Target Loja de perfil para contar o visitante nas métricas de atividade e incremento.
5 Os dados do Analytics são enviados aos Servidores de coleta de dados.
6 Os dados do Target são correspondidos aos dados do Analytics pela SDID, e processados no armazenamento de relatório do Analytics. Em seguida, os dados do Analytics podem ser visualizados no Analytics e no Target pelos relatórios do A4T.

Implantar o at.js 2.x

  1. Implantar o at.js 2.x por meio da extensão do Adobe Launch.

    NOTE

    O melhor método para implantar a at.js é usando o Adobe Launch.

    Ou

    Baixe manualmente o at.js 2.x usando a interface do usuário do Target e implante-a usando o método da sua escolha.

Funções obsoletas da at.js

Há várias funções que foram descontinuadas no at.js 2.x.

IMPORTANT

Se essas funções obsoletas ainda forem usadas no site quando o at.js 2.x for implantado, serão exibidos avisos no console. A abordagem recomendada durante a atualização é testar a implantação do at.js 2.x em um ambiente de preparo, analisar cada um dos avisos registrados no console e substituir as funções obsoletas por novas funções introduzidas no at.js 2.x.

Você pode encontrar as funções obsoletas e a contraparte abaixo. Para obter uma lista completa das funções, consulte funções da at.js.

NOTE

at.js 2.x O não oculta automaticamente os elementos mboxDefault marcados. Os clientes devem, portanto, acomodar a lógica de pré-ocultação manualmente no site ou por meio de um gerenciador de tags.

mboxCreate(mbox,params)

Descrição:

Executa uma solicitação e aplica a oferta ao DIV mais próximo com o nome de classe mboxDefault.

Exemplo:

<div class="mboxDefault">
  default content to replace by offer
</div>
<script>
  mboxCreate('mboxName','param1=value1','param2=value2');
</script>

at.js 2.x equivalente

Uma alternativa para mboxCreate(mbox, params) é getOffer() e applyOffer().

Exemplo:

<div class="mboxDefault"> 
  default content to replace by offer 
</div> 
<script> 
  var el = document.currentScript.previousElementSibling;
  adobe.target.getOffer({
    mbox: "mboxName",
    params: {
      param1: "value1",
      param2: "value2"
    },
    success: function(offer) {
      adobe.target.applyOffer({
        mbox: "mboxName",
        selector: el,
        offer: offer
      });
    },
    error: function(error) {
      console.error(error);
      el.style.visibility = "visible";
    }
  });
</script> 

mboxDefine() e mboxUpdate()

Descrição:

Cria um mapeamento interno entre um elemento e um nome de mbox, mas não executa a solicitação. Usada em conjunto com mboxUpdate(), que executa a solicitação e aplica a oferta ao elemento identificado pelo nodeId em mboxDefine(). Também pose ser usada para atualizar uma mbox iniciada por mboxCreate.

Exemplo:

<div id="someId" class="mboxDefault"></div>
<script>
 mboxDefine('someId','mboxName','param1=value1','param2=value2');
 mboxUpdate('mboxName','param3=value3','param4=value4');
</script>

at.js 2.x equivalente:

Uma alternativa para mboxDefine() e mboxUpdate é getOffer() e applyOffer(), com a opção do seletor usada em applyOffer(). Essa abordagem permite mapear a oferta para um elemento usando qualquer seletor de CSS, não apenas um com uma ID.

Exemplo:

<div id="someId" class="mboxDefault"> 
  default content to replace by offer 
</div> 
<script> 
  adobe.target.getOffer({
    mbox: "mboxName",
    params: {
      param1: "value1",
      param2: "value2",
      param3: "value3",
      param4: "value4" 
    },
    success: function(offer) {
      adobe.target.applyOffer({
        mbox: "mboxName",
        selector: "#someId",
        offer: offer
      });
    },
    error: function(error) {
      console.error(error);
      var el = document.getElementById("someId");
      el.style.visibility = "visible";
    }
  });
</script>

adobe.target.registerExtension()

Descrição:

Fornece uma forma padrão de registrar uma extensão específica.

Isso não é mais suportado e não deve ser usado.

Resumo das funções obsoletas, novas e suportadas at.js em 2.x

Método Suportado? Novo? Obsoleto?
(O conteúdo padrão será exibido)
getOffer() Sim
getOffers() Sim
applyOffer() Sim
applyOffers() Sim
triggerView() Sim
trackEvent() Sim
mboxCreate() Sim
mboxDefine()
mboxUpdate()
Sim
targetGlobalSettings() Sim
Data Providers Sim
targetPageParams() Sim
targetPageParamsAll() Sim
registerExtension() Sim
At.js Custom Events Sim

Limitações e chamadas de retorno

Esteja ciente das seguintes limitações e chamadas de retorno:

Rastreamento de conversão

Os clientes que usam mboxCreate() para rastreamento de conversão devem usar trackEvent() ou getOffer().

Entrega de oferta

Os clientes que não substituírem mboxCreate() por getOffer() ou applyOffer() correm o risco de não ter ofertas entregues.

O at.js 2.x pode ser usado em algumas páginas enquanto o at.js 1.x ou mbox.js está em outras páginas?

Sim, o perfil do visitante é preservado nas páginas usando diferentes versões e bibliotecas. O formato de cookie é o mesmo.

Nova API usada no at.js 2.x

at.js 2.x A usa uma nova API, chamada de API de entrega. Para depurar se o at.js está chamando o servidor Target de borda corretamente, você pode filtrar a guia Rede das Ferramentas do desenvolvedor do seu navegador para “entrega”, “tt.omtrdc.net”, ou seu código de cliente. Você também notará que Target envia uma carga JSON em vez de pares de valores-chave.

A mbox global do Target não é mais usada

Em at.js 2.Na x, “target-global-mbox” não estará mais visível nas chamadas de rede. Em vez disso, substituímos a sintaxe "target-global-mbox" por "execute > pageLoad" na carga JSON enviada aos Target servidores, como observado a seguir:

{
  "id": {
    // ...
  },
  "context": {
    "channel": "web",
    // ...
  },
  "execute": {
    "pageLoad": {}
  }
}

Basicamente, o conceito global de mbox foi apresentado para Target informar se recupera ofertas e conteúdo no carregamento de página. Dessa forma, deixamos isso mais explícito na versão mais recente.

O nome da mbox global no at.js não importa mais?

Customers are able to specify a global mbox name via Target > Administration > Implementation > Edit at.js Settings. Essa configuração é usada pelos servidores de borda Target para traduzir execute > pageLoad para o nome da mbox global que aparece na interface do Target. Isso permite que os clientes continuem a usar APIs do lado do servidor, o compositor baseado em formulário, scripts de perfil e criar públicos-alvo usando o nome global da mbox. We strongly recommend that you also make sure the same global mbox name is configured on the Administration > Visual Experience Composer page, as well, in case you still have pages using at.js 1.x ou mbox.js, conforme mostrado nas ilustrações a seguir.

Modificar caixa de diálogo da at.js

e

Mbox global personalizada

A configuração de mbox global de criação automática precisa ser ativada para o at.js 2.x?

Na maioria dos casos, sim. Essa configuração informa à at.js 2.x para disparar uma solicitação nos servidores de borda do Target ao carregar a página. Como a mbox global é traduzida para executar o > pageLoad e se você quiser acionar uma solicitação no carregamento da página, essa configuração deve estar ativada.

As atividades existentes do VEC continuarão a funcionar, mesmo que o nome da mbox global do Target não seja especificado no at.js 2.x?

Sim, porque executar > carga é tratado no Target backend como target-global-mbox.

Se minhas atividades baseadas em formulário forem direcionadas para o target-global-mbox, essas atividades continuarão funcionando?

Sim, porque executar > carga é tratado nos servidores Target de borda como target-global-mbox.

Configurações compatíveis e não compatíveis no at.js 2.x

Configuração Suportado?
Domínio X Não
Criar automaticamente mbox global Sim
Nome da mbox global Sim

Suporte de rastreamento entre domínios no at.js 2.x

O rastreamento entre domínios possibilita unir visitantes em diferentes domínios. Como um novo cookie deve ser criado para cada domínio, é difícil rastrear os visitantes quando eles navegam de um domínio para outro. Para realizar o rastreamento entre domínios, o Target usa um cookie de terceiros para rastrear visitantes entre domínios. Isso permite criar uma atividade do Target que abrange o siteA.com e o siteB.com, e os visitantes permanecem na mesma experiência quando navegam entre domínios únicos. Essa funcionalidade se associa ao comportamento de cookies de terceiros e próprios do Target.

NOTE

O rastreamento entre domínios não é compatível imediatamente com o at.js 2.x. O rastreamento entre domínios é compatível com o at.js 2.x por meio da biblioteca da Experience Cloud ID (ECID) v4.3.0+.

No Target, o cookie de terceiros é armazenado no <CLIENTCODE>.tt.omtrdc.net. O cookie próprio é armazenado no clientdomain.com. A primeira solicitação retorna cabeçalhos de resposta HTTP que tentam instalar cookies de terceiros chamados mboxSession e mboxPC, enquanto uma solicitação de redirecionamento é enviada de volta com um parâmetro extra (mboxXDomainCheck=true). Se o navegador aceitar cookies de terceiros, a solicitação de redirecionamento vai inclui-los, e a experiência será retornada. Esse fluxo de trabalho é possível porque usamos o método HTTP GET.

No entanto, no at.js 2.x, o HTTP GET não é mais usado e, em vez disso, usamos o HTTP POST. Agora o HTTP POST é usado por meio do at.js 2.x para enviar cargas JSON para os servidores do Target Edge. Isso significa que a solicitação de redirecionamento para verificar se um navegador suporta cookies de terceiros agora está rompida. Isso ocorre porque as solicitações HTTP GET são transações idempotentes, enquanto HTTP POST é não idempotente e não deve ser repetido arbitrariamente. Por isso, o rastreamento entre domínios no at.js 2.x não é mais compatível imediatamente. Somente o at.js 1.x tem suporte pronto para uso para rastreamento entre domínios.

Se quiser usar o rastreamento entre domínios, instale a biblioteca ECID v4.3.0+ em conjunto com at.js 2.x. A biblioteca da ECID existe para gerenciar IDs persistentes usadas para identificar um visitante, mesmo entre domínios.

NOTE

Depois de instalar a biblioteca da ECID v4.3.0+ e o at.js 2.x, você poderá criar atividades que abrangem domínios exclusivos e rastrear usuários. É importante observar que essa funcionalidade funciona somente após a sessão expirar.

Criar automaticamente mbox global é compatível

Essa configuração informa à at.js 2.x para disparar uma solicitação nos servidores de borda do Target no carregamento da página. Como a mbox global é traduzida para executar > carga, e isso é interpretado pelos servidores Target de borda, os clientes devem ativar esse recurso se quiserem acionar uma solicitação no carregamento da página.

O nome da mbox global é compatível

Customers are able to specify a global mbox name via Target > Administration > Implementation > Edit. Essa configuração é usada pelos Target servidores de borda para traduzir executar > carga para o nome da mbox global inserido. Isso permite que os clientes continuem a usar APIs do lado do servidor, o compositor baseado em formulário, scripts de perfil e criar públicos-alvo que direcionem a mbox global.

Os eventos personalizados da at.js abaixo são aplicáveis a triggerView() ou são somente para applyOffer() ou applyOffers()?

  • adobe.target.event.CONTENT_RENDERING_FAILED
  • adobe.target.event.CONTENT_RENDERING_SUCCEEDED
  • adobe.target.event.CONTENT_RENDERING_NO_OFFERS
  • adobe.target.event.CONTENT_RENDERING_REDIRECT

Sim, os eventos personalizados da at.js triggerView() também se aplicam.

It says when I call triggerView() with &lbrace;“page” : “true”&rbrace;, it will send a notification to the Target backend and increase the impression. Também faz com que os scripts de perfil sejam executados?

Quando uma chamada de pré-busca é feita no Target backend, os scripts de perfil são executados. Consequentemente, os dados de perfil afetados serão criptografados e enviados para o lado do cliente. Após invocar triggerView() com {"page": "true"}, uma notificação é enviada juntamente com os dados de perfil criptografados. Isso ocorre quando o Target backend descriptografa os dados do perfil e armazena nos bancos de dados.

Precisamos adicionar um código que oculta previamente antes da chamada triggerView() a fim de gerenciar a cintilação?

Não, não é necessário adicionar código de pré-ocultação antes de chamar triggerView(). at.js 2.x A gerencia a lógica de pré-ocultação e cintilação antes da exibição e aplicação da exibição.

Que at.js 1.Os parâmetros x para criar audiência não são suportados no at.js 2.x?

Os seguintes parâmetros at.js 1.x NÃO são suportados atualmente para criação de audiência ao usar o at.js 2.x:

  • browserHeight
  • browserWidth
  • browserTimeOffset
  • screenHeight
  • screenWidth
  • screenOrientation
  • colorDepth
  • devicePixelRatio

compatibilidade com o at.js

As tabelas a seguir explicam o at.js. 2.x compatibility with different activity types, integrations, features, and at.js functions.

Tipos de atividades

Tipo Suportado?
Teste A/B Sim
Alocação automática Sim
Direcionamento automático Sim
Direcionamento de experiência Sim
Teste multivariado Sim
Personalização automatizada Sim
Recommendations Sim
NOTE

As atividades de Direcionamento automático são compatíveis por meio do at.js 2.x e do VEC quando todas as modificações são aplicadas ao Page Load Event. Quando as modificações são adicionadas a exibições específicas, somente as atividades de Teste A/B, Alocação automática e Direcionamento de experiência (XT) são suportadas.

Integrações

Tipo Suportado?
Analytics for Target (A4T) Sim
Públicos-alvo Sim
Atributos do cliente Sim
Fragmentos de experiência do AEM Sim
Extensão do Adobe Launch Sim
Depurador Sim
Auditor As regras ainda não foram atualizadas para o at.js 2.x
Gerenciador dinâmico de tags (DTM) Sim
Opt-In Não. O Opt-in dá suporte ao GDPR na at.js versão 2.1.0.
Personalização aprimorada do AEM fornecida pelo Adobe Target Não

Recursos

Recurso Suportado?
Domínio X Não
Propriedades/espaços de trabalho Sim
Links de Controle de qualidade Sim
Experience Composer baseado em formulário Sim
Visual Experience Composer (VEC) Sim
Código personalizado Sim
Tokens de resposta Sim
Rastreamento de cliques Sim
Disponibilização de várias atividades Sim
targetGlobalSettings Sim (mas não domínio x)
Métodos da at.js Há suporte para tudo, exceto para
mboxCreate()
mboxUpdate()
mboxDefine()
que exibirá o conteúdo padrão.

Parâmetros da string de consulta

Parâmetro Suportado?
?mboxDisable Sim
?mboxDisable Sim
?mboxTrace Sim
?mboxSession Não
?mboxOverride.browserIp Não

Tokens de resposta

at.js 2.x, como a at.js 1.x, usa o evento personalizado at-request-succeeded para acionar tokens de resposta. Para obter exemplos de código usando o evento personalizado do at-request-succeeded, consulte Tokens de resposta.

at.js 1.x para o mapeamento de carga do at.js 2.x

Esta seção descreve os mapeamentos entre a at.js 1.x e at.js 2.x.

Antes de analisar o mapeamento de parâmetros, os endpoints usados por essas versões de biblioteca foram alterados:

  • at.js 1.x - http://<client code>.tt.omtrdc.net/m2/<client code>/mbox/json
  • at.js 2.x - http://<client code>.tt.omtrdc.net/rest/v1/delivery

Outra diferença significativa é que:

  • at.js 1.x - O código do cliente faz parte do caminho
  • at.js 2.x - O código do cliente é enviado como um parâmetro de sequência de consulta, como:
    http://<client code>.tt.omtrdc.net/rest/v1/delivery?client=democlient

As seções a seguir listam todos os parâmetros da at.js 1.x , sua descrição e o 2 correspondente.x Carga JSON (se aplicável):

at_property

(at.js 1.x parâmetro)

Usado para Permissões de usuário do Enterprise.

{
  ....
  "property": {
    "token": "1213213123122313121"
  }
  ....
}

mboxHost

(at.js 1.x parâmetro)

O domínio da página em que a biblioteca do Target é executada.

at.js 2.x Carga JSON:

{
  "context": {
    "browser": {
       "host": "test.com"
    }
  }
}

webGLRenderer

(at.js 1.x parâmetro)

Os recursos de renderização da Web GL do navegador. Isso é usado pelo nosso mecanismo de detecção de dispositivo para determinar se o dispositivo do visitante é um desktop, iPhone, dispositivo Android, etc.

at.js 2.x Carga JSON:

{
  "context": {
    "browser": {
       "webGLRenderer": "AMD Radeon Pro 560X OpenGL Engine"
    }
  }
}

mboxURL

(at.js 1.x parâmetro)

O URL da página.

at.js 2.x Carga JSON:

{
  "context": {
    "address": {
       "url": "http://test.com"
    }
  }
}

mboxReferrer

(at.js 1.x parâmetro)

O referenciador de página.

at.js 2.x Carga JSON:

{
  "context": {
    "address": {
       "referringUrl": "http://google.com"
    }
  }
}

mbox (o nome) igual à mbox global

(at.js 1.x parâmetro)

A API de entrega não tem mais um conceito de mbox global. Na carga JSON, você deve usar execute > pageLoad.

at.js 2.x Carga JSON:

{
  "execute": {
    "pageLoad": {
       "parameters": ....
       "profileParameters": ...
       .....
    }
  }
}

mbox (o nome) não é igual à mbox global

(at.js 1.x parâmetro)

Para usar um nome de mbox, passe-o para execute > mboxes. Uma mbox exige um índice e um nome.

at.js 2.x Carga JSON:

{
  "execute": {
    "mboxes": [{
       "index": 0,
       "name": "some-mbox",
       "parameters": ....
       "profileParameters": ...
       .....
    }]
  }
}

mboxId

(at.js 1.x parâmetro)

Não está mais em uso.

mboxCount

(at.js 1.x parâmetro)

Não está mais em uso.

mboxRid

(at.js 1.x parâmetro)

A ID de solicitação usada por sistemas de downstream para ajudar na depuração.

at.js 2.x Carga JSON:

{
  "requestId": "2412234442342"
  ....
}

mboxTime

(at.js 1.x parâmetro)

Não está mais em uso.

mboxSession

(at.js 1.x parâmetro)

A ID da sessão é enviada como parâmetro de sequência de consulta (sessionId) para o endpoint da API de entrega.

mboxPC

(at.js 1.x parâmetro)

A ID de TNT é passada para id > tntId.

at.js 2.x Carga JSON:

{
  "id": {
    "tntId": "ca5ddd7e33504c58b70d45d0368bcc70.21_3"
  }
  ....
}

mboxMCGVID

(at.js 1.x parâmetro)

A ID de visitante da Experience Cloud é passada para id > marketingCloudVisitorId.

at.js 2.x Carga JSON:

{
  "id": {
    "marketingCloudVisitorId": "797110122341429343505"
  }
  ....
}

vst.aaaa.id e vst.aaaa.authState

(at.js 1.x parâmetros)

As IDs do cliente devem ser passadas para id > customerIds.

at.js 2.x Carga JSON:

{
  "id": {
    "customerIds": [{
       "id": "1232131",
       "integrationCode": "aaaa",
       "authenticatedState": "....."
     }]
  }
  ....
}

mbox3rdPartyId

(at.js 1.x parâmetro)

A ID de terceiros do cliente usada para vincular IDs do Target diferentes.

at.js 2.x Carga JSON:

{
  "id": {
    "thirdPartyId": "1232312323123"
  }
  ....
}

mboxMCSDID

(at.js 1.x parâmetro)

SDID, também conhecida como ID de dados complementares. Deve ser passado para experienceCloud > analytics > supplementalDataId.

at.js 2.x Carga JSON:

{
  "experienceCloud": {
    "analytics": {
      "supplementalDataId": "1212321132123131"
    }
  }
  ....
}

vst.trk

(at.js 1.x parâmetro)

Servidor de rastreamento do Analytics. Deve ser passado para experienceCloud > analytics > trackingServer.

at.js 2.x Carga JSON:

{
  "experienceCloud": {
    "analytics": {
      "trackingServer": "analytics.test.com"
    }
  }
  ....
}

vst.trks

(at.js 1.x parâmetro)

Servidor de rastreamento do Analytics seguro. Deve ser passado para experienceCloud > analytics > trackingServerSecure.

at.js 2.x Carga JSON:

{
  "experienceCloud": {
    "analytics": {
      "trackingServerSecure": "secure-analytics.test.com"
    }
  }
  ....
}

mboxMCGLH

(at.js 1.x parâmetro)

Dica de localização do Audience Manager. Deve ser passado para experienceCloud > audienceManager > locationHint.

at.js 2.x Carga JSON:

{
  "experienceCloud": {
    "audienceManager": {
      "locationHint": 9
    }
  }
  ....
}

mboxAAMB

(at.js 1.x parâmetro)

Blob do Audience Manager. Deve ser passado para experienceCloud > audienceManager > blob.

at.js 2.x Carga JSON:

{
  "experienceCloud": {
    "audienceManager": {
      "blob": "2142342343242342"
    }
  }
  ....
}

mboxVersion

(at.js 1.x parâmetro)

A versão é enviada como um parâmetro de sequência de consulta por meio do parâmetro da versão.

Vídeo de treinamento: at.js 2.x diagrama arquitetônico emblema de visão geral

at.js 2.x A aprimora o suporte do Adobe Target para SPAs e integra-se com outras soluções da Experience Cloud. Este vídeo explica como tudo se une.

Consulte Entendendo como o at.js 2.O x funciona para obter mais informações.

Nesta página