Chamar o AEM Forms usando serviços da Web

A maioria dos serviços da AEM Forms no contêiner de serviço é configurada para expor um serviço da Web, com suporte total para a geração de WSDL (Web Service Definition Language). Ou seja, você pode criar objetos proxy que consomem a pilha SOAP nativa de um serviço AEM Forms. Como resultado, os serviços da AEM Forms podem trocar e processar as seguintes mensagens SOAP:

  • Solicitação SOAP: Enviado para um serviço da Forms por um aplicativo cliente solicitando uma ação.
  • Resposta SOAP: Enviado para um aplicativo cliente por um serviço da Forms depois que uma solicitação SOAP é processada.

Com os serviços da Web, é possível executar as mesmas operações dos serviços da AEM Forms que você pode usar a API do Java. Uma vantagem de usar serviços da Web para invocar os serviços da AEM Forms é que você pode criar um aplicativo cliente em um ambiente de desenvolvimento compatível com SOAP. Um aplicativo cliente não está vinculado a um ambiente de desenvolvimento específico ou linguagem de programação. Por exemplo, você pode criar um aplicativo cliente usando o Microsoft Visual Studio .NET e C# como a linguagem de programação.

Os serviços da AEM Forms são expostos através do protocolo SOAP e são compatíveis com o Perfil básico WSI 1.1. A WSI (Web Services Interoperability, interoperabilidade de serviços da Web) é uma organização de padrões abertos que promove a interoperabilidade do serviço da Web em todas as plataformas. Para obter informações, consulte https://www.ws-i.org/.

O AEM Forms oferece suporte aos seguintes padrões de serviço da Web:

Para chamar os serviços da AEM Forms usando um serviço da Web, normalmente você cria uma biblioteca de proxy que consome o serviço WSDL. A seção Invocar AEM Forms usando serviços da Web usa JAX-WS para criar classes proxy Java para invocar serviços. (Consulte Criação de classes proxy Java usando JAX-WS.)

Você pode recuperar um WDSL de serviço especificando a seguinte definição de URL (os itens entre colchetes são opcionais):

 https://<your_serverhost>:<your_port>/soap/services/<service_name>?wsdl[&version=<version>][&async=true|false][lc_version=<lc_version>]

em que:

  • your_ serverhostrepresenta o endereço IP do servidor de aplicativos J2EE que hospeda o AEM Forms.
  • your_ portrepresenta a porta HTTP que o servidor de aplicativos J2EE usa.
  • service_ namereapresenta o nome do serviço.
  • A versão representa a versão de destino de um serviço (a versão de serviço mais recente é usada por padrão).
  • async especifica o valor true para habilitar operações adicionais para invocação assíncrona ( false por padrão).
  • lc_ versionrepresenta a versão do AEM Forms que você deseja invocar.

A tabela a seguir lista as definições de WSDL de serviço (supondo que o AEM Forms esteja implantado no host local e a publicação seja 8080).

Serviço

Definição de WSDL

Assembler

http://localhost:8080/soap/services/ AssemblerService?wsdl

Voltar e restaurar

http://localhost:8080/soap/services/BackupService?wsdl

formulários com códigos de barras

http://localhost:8080/soap/services/ BarcodedFormsService?wsdl

Converter PDF

http://localhost:8080/soap/services/ ConvertPDFService?wsdl

Distiller

http://localhost:8080/soap/services/ DistillerService?wsdl

DocConverter

http://localhost:8080/soap/services/DocConverterService?WSDL

DocumentManagement

http://localhost:8080/soap/services/DocumentManagementService?WSDL

Criptografia

http://localhost:8080/soap/services/EncryptionService?wsdl

Forms

http://localhost:8080/soap/services/FormsService?wsdl

Integração de dados de formulário

http://localhost:8080/soap/services/FormDataIntegration?wsdl

Gerar PDF

http://localhost:8080/soap/services/ GeneratePDFService?wsdl

Gerar PDF 3D

http://localhost:8080/soap/services/Generate3dPDFService?WSDL

Saída

http://localhost:8080/soap/services/ OutputService?wsdl

Utilitários PDF

http://localhost:8080/soap/services/ PDFUtilityService?wsdl

Extensões do Acrobat Reader DC

http://localhost:8080/soap/services/ ReaderExtensionsService?wsdl

Repositório

http://localhost:8080/soap/services/ RepositoryService?wsdl

Rights Management

http://localhost:8080/soap/services/ RightsManagementService?wsdl

Assinatura

http://localhost:8080/soap/services/ SignatureService?wsdl

Utilitários XMP

http://localhost:8080/soap/services/ XMPUtilityService?wsdl

Definições de WSDL do processo AEM Forms

Você deve especificar o nome do Aplicativo e o nome do Processo na definição WSDL para acessar um WSDL que pertence a um processo criado no Workbench. Suponha que o nome do aplicativo seja MyApplication e o nome do processo seja EncryptDocument. Nessa situação, especifique a seguinte definição de WSDL:

 http://localhost:8080/soap/services/MyApplication/EncryptDocument?wsdl
OBSERVAÇÃO

Para obter informações sobre o exemplo MyApplication/EncryptDocument processo de curta duração, consulte Exemplo de processo de curta duração.

OBSERVAÇÃO

Um aplicativo pode conter pastas. Nesse caso, especifique o(s) nome(s) da pasta na definição WSDL:

 http://localhost:8080/soap/services/MyApplication/[<folderA>/.../<folderZ>/]EncryptDocument?wsdl

Acessar nova funcionalidade usando serviços da Web

A nova funcionalidade do serviço AEM Forms pode ser acessada usando serviços da Web. Por exemplo, no AEM Forms, é introduzida a capacidade de codificar anexos usando MTOM. (Consulte Chamar o AEM Forms usando MTOM.)

Para acessar a nova funcionalidade introduzida no AEM Forms, especifique o atributo lc_version na definição WSDL. Por exemplo, para acessar a nova funcionalidade do serviço (incluindo o suporte a MTOM), especifique a seguinte definição de WSDL:

 http://localhost:8080/soap/services/MyApplication/EncryptDocument?wsdl&lc_version=9.0.1
OBSERVAÇÃO

Ao definir o atributo lc_version, certifique-se de usar três dígitos. Por exemplo, 9.0.1 é igual à versão 9.0.

Tipo de dados BLOB do serviço da Web

As WSDLs do serviço AEM Forms definem muitos tipos de dados. Um dos tipos de dados mais importantes expostos em um serviço da Web é um tipo BLOB . Esse tipo de dados mapeia para a classe com.adobe.idp.Document ao trabalhar com APIs Java do AEM Forms. (Consulte Passar dados para serviços da AEM Forms usando a API do Java.)

Um objeto BLOB envia e recupera dados binários (por exemplo, arquivos PDF, dados XML e assim por diante) de e para os serviços da AEM Forms. O tipo BLOB é definido em um WSDL de serviço da seguinte maneira:

 <complexType name="BLOB"> 
     <sequence> 
         <element maxOccurs="1" minOccurs="0" name="contentType" 
             type="xsd:string"/> 
         <element maxOccurs="1" minOccurs="0" name="binaryData" 
             type="xsd:base64Binary"/> 
         <element maxOccurs="1" minOccurs="0" name="attachmentID" 
             type="xsd:string"/> 
         <element maxOccurs="1" minOccurs="0" name="remoteURL" 
             type="xsd:string"/> 
         <element maxOccurs="1" minOccurs="0" name="MTOM"  
             type="xsd:base64Binary" 
             xmime:expectedContentTypes="*/*" 
             xmlns:xmime="https://www.w3.org/2005/05/xmlmime"/> 
         <element maxOccurs="1" minOccurs="0" name="swaRef"  
             type="tns1:swaRef"/> 
         <element maxOccurs="1" minOccurs="0" name="attributes" 
             type="impl:MyMapOf_xsd_string_To_xsd_anyType"/> 
     </sequence> 
 </complexType>

Os campos MTOM e swaRef são compatíveis somente no AEM Forms. Você pode usar esses novos campos somente se especificar um URL que inclui a propriedade lc_version.

Fornecimento de objetos BLOB em solicitações de serviço

Se uma operação de serviço AEM Forms exigir um tipo BLOB como valor de entrada, crie uma instância do tipo BLOB na lógica do aplicativo. (Muitos dos inícios rápidos do serviço da Web localizados em Programação com formulários AEM mostram como trabalhar com um tipo de dados BLOB.)

Atribua valores a campos que pertencem à instância BLOB da seguinte maneira:

  • Base64: Para passar dados como texto codificado em um formato Base64, defina os dados no BLOB.binaryData campo e defina o tipo de dados no formato MIME (por exemplo, application/pdf) no BLOB.contentType campo . (Consulte Chamar AEM Forms usando a codificação Base64.)
  • MTOM: Para transmitir dados binários em um anexo MTOM, defina os dados no BLOB.MTOM campo . Essa configuração anexa os dados à solicitação SOAP usando a estrutura Java JAX-WS ou a API nativa da estrutura SOAP. (Consulte Chamar o AEM Forms usando MTOM.)
  • SwaRef: Para transmitir dados binários em um anexo WS-I SwaRef, defina os dados no BLOB.swaRef campo . Essa configuração anexa os dados à solicitação SOAP usando a estrutura Java JAX-WS. (Consulte Chamar o AEM Forms usando SwaRef.)
  • Anexo MIME ou DIME: Para transmitir dados em um anexo MIME ou DIME, anexe os dados à solicitação SOAP usando a API nativa da estrutura SOAP. Defina o identificador do anexo no campo BLOB.attachmentID. (Consulte Chamar AEM Forms usando a codificação Base64.)
  • URL remoto: Se os dados forem hospedados em um servidor da Web e acessíveis por meio de um URL HTTP, defina o URL HTTP no BLOB.remoteURL campo . (Consulte Chamar o AEM Forms usando dados BLOB sobre HTTP.)

Acesso a dados em objetos BLOB retornados de serviços

O protocolo de transmissão para objetos BLOB retornados depende de vários fatores, que são considerados na seguinte ordem, interrompendo quando a condição principal é atendida:

  1. O URL de destino especifica o protocolo de transmissão. Se o URL de destino especificado na invocação SOAP contiver o parâmetro blob="BLOB_TYPE", então BLOB_TYPE determinará o protocolo de transmissão. BLOB_ TYPEé um espaço reservado para base64, dime, mime, http, mtom ou swaref.

  2. O ponto de extremidade SOAP do serviço é Smart. Se as condições a seguir forem verdadeiras, os documentos de saída serão retornados usando o mesmo protocolo de transmissão que os documentos de entrada:

    • O parâmetro de ponto de extremidade SOAP do serviço Protocolo Padrão para Objetos Blob de Saída está definido como Inteligente.

      Para cada serviço com um terminal SOAP, o console de administração permite especificar o protocolo de transmissão para os blobs retornados. (Consulte ajuda de administração.)

    • O serviço AEM Forms utiliza um ou mais documentos como entrada.

  3. O ponto de extremidade SOAP de serviço não é inteligente. O protocolo configurado determina o protocolo de transmissão do documento e os dados são retornados no campo BLOB correspondente. Por exemplo, se o ponto de extremidade SOAP estiver definido como DIME, o blob retornado estará no campo blob.attachmentID independentemente do protocolo de transmissão de qualquer documento de entrada.

  4. Caso contrário. Se um serviço não assumir o tipo de documento como entrada, os documentos de saída serão retornados no campo BLOB.remoteURL sobre o protocolo HTTP.

Conforme descrito na primeira condição, é possível garantir o tipo de transmissão para quaisquer documentos retornados estendendo o URL do ponto de extremidade SOAP com um sufixo, da seguinte maneira:

     https://<your_serverhost>:<your_port>/soap/services/<service 
     name>?blob=base64|dime|mime|http|mtom|swaref

Esta é a correlação entre os tipos de transmissão e o campo a partir do qual você obtém os dados:

  • Formato Base64: Defina o blob sufixo como base64 para retornar os dados no BLOB.binaryData campo .
  • Anexo MIME ou DIME: Defina o blob sufixo como DIME ou MIME para retornar os dados como um tipo de anexo correspondente com o identificador de anexo retornado no BLOB.attachmentID campo . Use a API proprietária da estrutura SOAP para ler os dados do anexo.
  • URL remoto: Defina o blob sufixo como http para manter os dados no servidor de aplicativos e retorne o URL apontando para os dados no BLOB.remoteURL campo .
  • MTOM ou SwaRef: Defina o blob sufixo como mtom ou swaref para retornar os dados como um tipo de anexo correspondente com o identificador de anexo retornado nos campos BLOB.MTOM ou BLOB.swaRef . Use a API nativa da estrutura SOAP para ler os dados do anexo.
OBSERVAÇÃO

É recomendável não exceder 30 MB ao preencher um objeto BLOB chamando seu método setBinaryData. Caso contrário, há a possibilidade de ocorrer uma exceção OutOfMemory.

OBSERVAÇÃO

Os aplicativos baseados em WS JAX que usam o protocolo de transmissão MTOM são limitados a 25 MB de dados enviados e recebidos. Essa limitação ocorre devido a um bug no JAX-WS. Se o tamanho combinado dos arquivos enviados e recebidos exceder 25 MB, use o protocolo de transmissão SwaRef em vez do MTOM. Caso contrário, há a possibilidade de uma exceção OutOfMemory.

Transmissão MTOM de matrizes de bytes codificadas em base64

Além do objeto BLOB, o protocolo MTOM suporta qualquer parâmetro de matriz de bytes ou campo de matriz de bytes de um tipo complexo. Isso significa que as estruturas SOAP do cliente que oferecem suporte ao MTOM podem enviar qualquer elemento xsd:base64Binary como um anexo MTOM (em vez de um texto codificado em base64). Os pontos de extremidade SOAP AEM Forms podem ler esse tipo de codificação de matriz de bytes. No entanto, o serviço AEM Forms sempre retorna um tipo de matriz de bytes como um texto codificado em base64. Os parâmetros da matriz de bytes de saída não são compatíveis com MTOM.

Os serviços da AEM Forms que retornam uma grande quantidade de dados binários usam o tipo Documento/BLOB em vez do tipo de matriz de bytes. O tipo de documento é muito mais eficiente para transmitir grandes quantidades de dados.

Tipos de dados de serviço da Web

A tabela a seguir lista os tipos de dados Java e mostra o tipo de dados do serviço da Web correspondente.

Tipo de dados Java

Tipo de dados do serviço da Web

java.lang.byte[]

xsd:base64Binary

java.lang.Boolean

xsd:boolean

java.util.Date

O tipo DATE, que é definido em um WSDL de serviço como segue:

<complexType name="DATE">

<sequence>

<element maxOccurs="1" minOccurs="0" name="date" type="xsd:dateTime" />

<element maxOccurs="1" minOccurs="0" name="calendar" type="xsd:dateTime" />

</sequence>

</complexType>

Se uma operação de serviço AEM Forms receber um valor java.util.Date como entrada, o aplicativo cliente SOAP deverá passar a data no campo DATE.date. Configurar o campo DATE.calendar nesse caso causa uma exceção de tempo de execução. Se o serviço retornar um java.util.Date, a data será retornada no campo DATE.date.

java.util.Calendar

O tipo DATE, que é definido em um WSDL de serviço como segue:

<complexType name="DATE">

<sequence>

<element maxOccurs="1" minOccurs="0" name="date" type="xsd:dateTime" />

<element maxOccurs="1" minOccurs="0" name="calendar" type="xsd:dateTime" />

</sequence>

</complexType>

Se uma operação de serviço AEM Forms receber um valor java.util.Calendar como entrada, o aplicativo cliente SOAP deverá passar a data no campo DATE.caledendar. Configurar o campo DATE.date nesse caso causa uma exceção de tempo de execução. Se o serviço retornar um java.util.Calendar, a data será retornada no campo DATE.calendar.

java.math.BigDecimal

xsd:decimal

com.adobe.idp.Document

BLOB

java.lang.Double

xsd:double

java.lang.Float

xsd:float

java.lang.Integer

xsd:int

java.util.List

MyArrayOf_xsd_anyType

java.lang.Long

xsd:long

java.util.Map

O apachesoap:Map, que é definido em um WSDL de serviço como segue:

<schema elementFormDefault="qualified" targetNamespace="https://xml.apache.org/xml-soap" xmlns="https://www.w3.org/2001/XMLSchema">

<complexType name="mapItem">

<sequence>

<element name="key" nillable="true" type="xsd:anyType"/>

<element name="value" nillable="true" type="xsd:anyType"/>

</sequence>

</complexType>

<complexType name="Map">

<sequence>

<element maxOccurs="unbounded" minOccurs="0" name="item" type="apachesoap:mapItem"/>

</sequence>

</complexType>

</schema>

O Mapa é representado como uma sequência de pares de chave/valor.

java.lang.Object

$1

java.lang.Short

xsd:short

java.lang.String

xsd:string

org.w3c.dom.Document

O tipo XML, que é definido em um WSDL de serviço da seguinte maneira:

<complexType name="XML">

<sequence>

<element maxOccurs="1" minOccurs="0" name="document" type="xsd:string" />

<element maxOccurs="1" minOccurs="0" name="element" type="xsd:string" />

</sequence>

</complexType>

Se uma operação de serviço AEM Forms aceitar um valor org.w3c.dom.Document, passe os dados XML no campo XML.document.

Configurar o campo XML.element causa uma exceção de tempo de execução. Se o serviço retornar um org.w3c.dom.Document, os dados XML serão retornados no campo XML.document.

org.w3c.dom.Element

O tipo XML, que é definido em um WSDL de serviço da seguinte maneira:

<complexType name="XML">

<sequence>

<element maxOccurs="1" minOccurs="0" name="document" type="xsd:string" />

<element maxOccurs="1" minOccurs="0" name="element" type="xsd:string" />

</sequence>

</complexType>

Se uma operação de serviço AEM Forms receber um org.w3c.dom.Element como entrada, passe os dados XML no campo XML.element.

Configurar o campo XML.document causa uma exceção de tempo de execução. Se o serviço retornar um org.w3c.dom.Element, os dados XML serão retornados no campo XML.element.

Site do desenvolvedor do Adobe

O site do Desenvolvedor do Adobe contém o seguinte artigo que discute a chamada de serviços da AEM Forms usando a API do serviço da Web:

Criação de formulários de renderização de aplicativos ASP.NET

Chamar serviços da Web usando componentes personalizados

OBSERVAÇÃO

Invocar serviços da Web usando componentes personalizados descreve como criar um componente do AEM Forms que chama serviços da Web de terceiros.

Criando classes proxy Java usando JAX-WS

Você pode usar o JAX-WS para converter um WSDL de serviço da Forms em classes proxy Java. Essas classes permitem que você chame as operações dos serviços da AEM Forms. O Apache Ant permite criar um script de criação que gera classes proxy Java referenciando um WSDL do serviço AEM Forms. Você pode gerar arquivos proxy JAX-WS executando as seguintes etapas:

  1. Instale o Apache Ant no computador cliente. (Consulte https://ant.apache.org/bindownload.cgi.)

    • Adicione o diretório bin ao caminho da classe.
    • Defina a variável de ambiente ANT_HOME no diretório em que instalou o Ant.
  2. Instale o JDK 1.6 ou posterior.

    • Adicione o diretório JDK bin ao caminho da classe.
    • Adicione o diretório JRE bin ao caminho da classe. Este compartimento está localizado no diretório [JDK_INSTALL_LOCATION]/jre.
    • Defina a variável de ambiente JAVA_HOME no diretório em que você instalou o JDK.

    O JDK 1.6 inclui o programa wsimport usado no arquivo build.xml. O JDK 1.5 não inclui esse programa.

  3. Instale o JAX-WS no computador cliente. (Consulte API do Java para XML Web Services.)

  4. Use JAX-WS e Apache Ant para gerar classes proxy Java. Crie um script de criação Ant para realizar essa tarefa. O script a seguir é um exemplo de script de compilação Ant chamado build.xml:

     <?xml version="1.0" encoding="UTF-8"?> 
      
     <project basedir="." default="compile"> 
      
     <property name="port" value="8080" /> 
     <property name="host" value="localhost" /> 
     <property name="username" value="administrator" /> 
     <property name="password" value="password" /> 
     <property name="tests" value="all" /> 
      
     <target name="clean" > 
            <delete dir="classes" /> 
     </target> 
      
     <target name="wsdl" depends="clean"> 
            <mkdir dir="classes"/> 
            <exec executable="wsimport" failifexecutionfails="false" failonerror="true" resultproperty="foundWSIMPORT"> 
                <arg line="-keep -d classes https://${host}:${port}/soap/services/EncryptionService?wsdl&lc_version=9.0.1"/> 
            </exec> 
            <fail unless="foundWSIMPORT"> 
               !!! Failed to execute JDK's wsimport tool. Make sure that JDK 1.6 (or later) is on your PATH !!! 
            </fail> 
     </target> 
      
     <target name="compile" depends="clean, wsdl" > 
          <javac destdir="./classes" fork="true" debug="true"> 
             <src path="./src"/> 
          </javac> 
     </target> 
      
     <target name="run"> 
          <java classname="Client" fork="yes" failonerror="true" maxmemory="200M"> 
             <classpath> 
               <pathelement location="./classes"/> 
             </classpath> 
             <arg value="${port}"/> 
             <arg value="${host}"/> 
             <arg value="${username}"/> 
             <arg value="${password}"/> 
             <arg value="${tests}"/> 
          </java> 
     </target> 
     </project>
    

    Nesse script de criação Ant, observe que a propriedade url está definida para fazer referência ao WSDL do serviço de criptografia em execução no host local. As propriedades username e password devem ser definidas como um nome de usuário e senha válidos para formulários AEM. Observe que o URL contém o atributo lc_version . Sem especificar a opção lc_version, não é possível chamar novas operações do serviço AEM Forms.

    OBSERVAÇÃO

    Substitua EncryptionService* pelo nome do serviço AEM Forms que você deseja chamar usando classes proxy Java. Por exemplo, para criar classes proxy Java para o serviço Rights Management, especifique:*

     http://localhost:8080/soap/services/RightsManagementService?WSDL&lc_version=9.0.1
    
  5. Crie um arquivo BAT para executar o script de compilação Ant. O seguinte comando pode ser localizado em um arquivo BAT responsável pela execução do script de compilação Ant:

     ant -buildfile "build.xml" wsdl
    

    Coloque o script de build ANT no diretório C:\Program Files\Java\jaxws-ri\bin directory. O script grava os arquivos JAVA no .pasta /classes. O script gera arquivos JAVA que podem chamar o serviço.

  6. Compacte os arquivos JAVA em um arquivo JAR. Se estiver trabalhando com o Eclipse, siga estas etapas:

    • Crie um novo projeto Java usado para empacotar os arquivos JAVA de proxy em um arquivo JAR.
    • Crie uma pasta de origem no projeto.
    • Crie um pacote com.adobe.idp.services na pasta Origem.
    • Selecione o pacote com.adobe.idp.services e depois importe os arquivos JAVA da pasta adobe/idp/services para o pacote.
    • Se necessário, crie um pacote org/apache/xml/xmlsoap na pasta Origem.
    • Selecione a pasta de origem e importe os arquivos JAVA da pasta org/apache/xml/xmlsoap.
    • Defina o nível de conformidade do compilador Java para 5.0 ou superior.
    • Crie o projeto.
    • Exporte o projeto como um arquivo JAR.
    • Importe este arquivo JAR no caminho de classe de um projeto cliente. Além disso, importe todos os arquivos JAR localizados em <Diretório de instalação>\Adobe\Adobe_Experience_Manager_forms\sdk\client-libs\thirdparty.
    OBSERVAÇÃO

    Todas as inicializações rápidas do serviço da Web Java (exceto o serviço Forms) localizadas em Programação com AEM formulários criam arquivos proxy Java usando JAX-WS. Além disso, todos os serviços da Web Java são iniciados rapidamente, use SwaRef. (Consulte Chamar o AEM Forms usando SwaRef.)

Consulte também:

Criação de classes proxy Java usando o Apache Axis

Chamada de AEM Forms usando codificação Base64

Chamada de AEM Forms usando dados BLOB sobre HTTP

Chamar o AEM Forms usando SwaRef

Criação de classes proxy Java usando o Apache Axis

Você pode usar a ferramenta Apache Axis WSDL2Java para converter um serviço Forms em classes proxy Java. Essas classes permitem que você chame as operações do serviço Forms. Usando o Apache Ant, você pode gerar arquivos de biblioteca do Axis a partir de um WSDL de serviço. Você pode baixar o Apache Axis no URL https://ws.apache.org/axis/.

OBSERVAÇÃO

Os inícios rápidos do serviço da Web associados ao serviço da Forms usam classes proxy Java criadas com o Apache Axis. O serviço da Web da Forms inicia também o uso de Base64 como tipo de codificação. (Consulte Início rápido da API do Forms Service.)

Você pode gerar arquivos de biblioteca Java do Axis executando as seguintes etapas:

  1. Instale o Apache Ant no computador cliente. Está disponível em https://ant.apache.org/bindownload.cgi.

    • Adicione o diretório bin ao caminho da classe.
    • Defina a variável de ambiente ANT_HOME no diretório em que instalou o Ant.
  2. Instale o Apache Axis 1.4 no computador cliente. Está disponível em https://ws.apache.org/axis/.

  3. Configure o caminho de classe para usar os arquivos JAR do Axis no cliente do serviço da Web, conforme descrito nas instruções de instalação do Axis em https://ws.apache.org/axis/java/install.html.

  4. Use a ferramenta Apache WSDL2Java no Axis para gerar classes proxy Java. Crie um script de criação Ant para realizar essa tarefa. O script a seguir é um exemplo de script de compilação Ant chamado build.xml:

     <?xml version="1.0"?> 
     <project name="axis-wsdl2java"> 
      
     <path id="axis.classpath"> 
     <fileset dir="C:\axis-1_4\lib" > 
         <include name="**/*.jar" /> 
     </fileset> 
     </path> 
      
     <taskdef resource="axis-tasks.properties" classpathref="axis.classpath" /> 
      
     <target name="encryption-wsdl2java-client" description="task"> 
     <axis-wsdl2java 
         output="C:\JavaFiles" 
         testcase="false" 
         serverside="false" 
         verbose="true" 
         username="administrator" 
         password="password" 
         url="http://localhost:8080/soap/services/EncryptionService?wsdl&lc_version=9.0.1" > 
     </axis-wsdl2java> 
     </target> 
      
     </project>
    

    Nesse script de criação Ant, observe que a propriedade url está definida para fazer referência ao WSDL do serviço de criptografia em execução no host local. As propriedades username e password devem ser definidas como um nome de usuário e senha válidos para formulários AEM.

  5. Crie um arquivo BAT para executar o script de compilação Ant. O seguinte comando pode ser localizado em um arquivo BAT responsável pela execução do script de compilação Ant:

     ant -buildfile "build.xml" encryption-wsdl2java-client
    

    Os arquivos JAVA são gravados na propriedade C:\JavaFiles folder as specified by the output . Para chamar com êxito o serviço Forms, importe esses arquivos JAVA para o caminho da classe.

    Por padrão, esses arquivos pertencem a um pacote Java chamado com.adobe.idp.services. É recomendável colocar esses arquivos JAVA em um arquivo JAR. Em seguida, importe o arquivo JAR para o caminho de classe do seu aplicativo cliente.

    OBSERVAÇÃO

    Há diferentes maneiras de colocar arquivos .JAVA em um JAR. Uma maneira é usar um Java IDE como o Eclipse. Crie um projeto Java e crie um pacote com.adobe.idp.services* (todos os arquivos .JAVA pertencem a esse pacote). Em seguida, importe todos os arquivos .JAVA para o pacote. Por fim, exporte o projeto como um arquivo JAR.*

  6. Altere o URL na classe EncryptionServiceLocator para especificar o tipo de codificação. Por exemplo, para usar base64, especifique ?blob=base64 para garantir que o objeto BLOB retorne dados binários. Ou seja, na classe EncryptionServiceLocator, localize a seguinte linha de código:

     http://localhost:8080/soap/services/EncryptionService;
    

    e alterá-lo para:

     http://localhost:8080/soap/services/EncryptionService?blob=base64;
    
  7. Adicione os seguintes arquivos Axis JAR ao caminho de classe do seu projeto Java:

    • activation.jar
    • axis.jar
    • commons-codec-1.3.jar
    • commons-collections-3.1.jar
    • commons-discovery.jar
    • commons-logging.jar
    • dom3-xml-apis-2.5.0.jar
    • jai_imagio.jar
    • jaxen-1.1-beta-9.jar
    • jaxrpc.jar
    • log4j.jar
    • mail.jar
    • saaj.jar
    • wsdl4j.jar
    • xalan.jar
    • xbean.jar
    • xercesImpl.jar

    Esses arquivos JAR estão no diretório [install diretory]/Adobe/Adobe Experience Manager Forms/sdk/lib/thirdparty .

Consulte também:

Criando classes proxy Java usando JAX-WS

Chamada de AEM Forms usando codificação Base64

Chamada de AEM Forms usando dados BLOB sobre HTTP

Chamada de AEM Forms usando codificação Base64

Você pode chamar um serviço AEM Forms usando a codificação Base64. Codificação Base64 codifica anexos que são enviados com uma solicitação de invocação de serviço da Web. Ou seja, os dados BLOB são codificados em Base64, não na mensagem SOAP inteira.

"Chamar o AEM Forms usando a codificação Base64" discute chamar o seguinte processo de curta duração do AEM Forms chamado MyApplication/EncryptDocument usando a codificação Base64.

OBSERVAÇÃO

Esse processo não se baseia em um processo AEM Forms existente. Para seguir junto com o exemplo de código, crie um processo chamado MyApplication/EncryptDocument usando o Workbench. (Consulte Usando Workbench.)

Quando esse processo é chamado, ele executa as seguintes ações:

  1. Obtém o documento PDF não seguro passado para o processo. Esta ação é baseada na operação SetValue. O parâmetro de entrada desse processo é uma variável de processo document chamada inDoc.
  2. Criptografa o documento PDF com uma senha. Esta ação é baseada na operação PasswordEncryptPDF. O documento PDF criptografado por senha é retornado em uma variável de processo chamada outDoc.

Criando um assembly de cliente .NET que usa codificação Base64

Você pode criar um assembly de cliente .NET para chamar um serviço Forms de um projeto do Microsoft Visual Studio .NET. Para criar um assembly de cliente .NET que use codificação base64, execute as seguintes etapas:

  1. Crie uma classe proxy com base em um URL de invocação do AEM Forms.
  2. Crie um projeto do Microsoft Visual Studio .NET que produz o assembly do cliente .NET.

Criação de uma classe proxy

Você pode criar uma classe proxy usada para criar o assembly do cliente .NET usando uma ferramenta que acompanha o Microsoft Visual Studio. O nome da ferramenta é wsdl.exe e está localizado na pasta de instalação do Microsoft Visual Studio. Para criar uma classe proxy, abra o prompt de comando e navegue até a pasta que contém o arquivo wsdl.exe. Para obter mais informações sobre a ferramenta wsdl.exe, consulte a Ajuda do MSDN.

Digite o seguinte comando no prompt de comando:

 wsdl https://hiro-xp:8080/soap/services/MyApplication/EncryptDocument?WSDL&lc_version=9.0.1

Por padrão, essa ferramenta cria um arquivo CS na mesma pasta que se baseia no nome do WSDL. Nessa situação, ele cria um arquivo CS chamado EncryptDocumentService.cs. Use esse arquivo CS para criar um objeto proxy que permita chamar o serviço especificado no URL de invocação.

Altere o URL na classe proxy para incluir ?blob=base64 para garantir que o objeto BLOB retorne dados binários. Na classe proxy, localize a seguinte linha de código:

 "https://hiro-xp:8080/soap/services/MyApplication/EncryptDocument";

e alterá-lo para:

 "https://hiro-xp:8080/soap/services/MyApplication/EncryptDocument?blob=base64";

A seção Invocar AEM Forms usando Codificação Base64 usa MyApplication/EncryptDocument como exemplo. Se estiver criando um assembly de cliente .NET para outro serviço Forms, substitua MyApplication/EncryptDocument pelo nome do serviço.

Desenvolvendo o assembly do cliente .NET

Crie um projeto do Visual Studio Class Library que produz um assembly de cliente .NET. O arquivo CS criado usando wsdl.exe pode ser importado para este projeto. Este projeto produz um arquivo DLL (o assembly do cliente .NET) que você pode usar em outros projetos do Visual Studio .NET para invocar um serviço.

  1. Inicie o Microsoft Visual Studio .NET.
  2. Crie um projeto da Biblioteca de classes e o nomeie como DocumentService.
  3. Importe o arquivo CS criado usando wsdl.exe.
  4. No menu Project, selecione Adicionar referência.
  5. Na caixa de diálogo Adicionar referência, selecione System.Web.Services.dll.
  6. Clique em Selecione e depois clique em OK.
  7. Compile e crie o projeto.
OBSERVAÇÃO

Este procedimento cria um assembly de cliente .NET chamado DocumentService.dll que pode ser usado para enviar solicitações SOAP para o serviço MyApplication/EncryptDocument.

OBSERVAÇÃO

Certifique-se de ter adicionado ?blob=base64 ao URL na classe proxy usada para criar o assembly do cliente .NET. Caso contrário, você não poderá recuperar dados binários do objeto BLOB.

Fazendo referência ao assembly do cliente .NET

Coloque o conjunto de clientes .NET recém-criado no computador onde está desenvolvendo o aplicativo cliente. Depois de colocar o assembly do cliente .NET em um diretório, você pode referenciá-lo a partir de um projeto. Consulte também a biblioteca System.Web.Services do seu projeto. Se não fizer referência a esta biblioteca, não poderá utilizar a assemblagem de cliente .NET para invocar um serviço.

  1. No menu Project, selecione Adicionar referência.
  2. Clique na guia .NET.
  3. Clique em Procurar e localize o arquivo DocumentService.dll.
  4. Clique em Selecione e depois clique em OK.

Chamando um serviço usando um assembly de cliente .NET que usa codificação Base64

Você pode chamar o serviço MyApplication/EncryptDocument (que foi criado no Workbench) usando um assembly de cliente .NET que usa codificação Base64. Para chamar o serviço MyApplication/EncryptDocument, execute as seguintes etapas:

  1. Crie um conjunto de clientes do Microsoft .NET que consuma o WSDL do serviço MyApplication/EncryptDocument.
  2. Crie um projeto cliente do Microsoft .NET. Faça referência ao assembly do cliente Microsoft .NET no projeto do cliente. Consulte também System.Web.Services.
  3. Usando o assembly do cliente Microsoft .NET, crie um objeto MyApplication_EncryptDocumentService chamando seu construtor padrão.
  4. Defina a propriedade MyApplication_EncryptDocumentService do objeto Credentials com um objeto System.Net.NetworkCredential. No construtor System.Net.NetworkCredential, especifique um nome de usuário para formulários AEM e a senha correspondente. Defina valores de autenticação para permitir que o aplicativo cliente .NET troque mensagens SOAP com AEM Forms com êxito.
  5. Crie um objeto BLOB usando seu construtor. O objeto BLOB é usado para armazenar um documento PDF enviado para o processo MyApplication/EncryptDocument.
  6. Crie um objeto System.IO.FileStream chamando seu construtor. Passe um valor de string que representa o local do arquivo do documento PDF e o modo no qual o arquivo deve ser aberto.
  7. Crie uma matriz de bytes que armazene o conteúdo do objeto System.IO.FileStream. Você pode determinar o tamanho da matriz de bytes obtendo a propriedade System.IO.FileStream do objeto Length.
  8. Preencha a matriz de bytes com dados de fluxo chamando o método System.IO.FileStream do objeto Read. Passe a matriz de bytes, a posição inicial e o comprimento do fluxo para ler.
  9. Preencha o objeto BLOB atribuindo sua propriedade binaryData ao conteúdo da matriz de bytes.
  10. Chame o processo MyApplication/EncryptDocument chamando o método MyApplication_EncryptDocumentService do objeto invoke e transmitindo o objeto BLOB que contém o documento PDF. Esse processo retorna um documento PDF criptografado dentro de um objeto BLOB.
  11. Crie um objeto System.IO.FileStream chamando seu construtor e passando um valor de string que representa o local do arquivo do documento criptografado por senha.
  12. Crie uma matriz de bytes que armazene o conteúdo de dados do objeto BLOB retornado pelo método MyApplicationEncryptDocumentService do objeto invoke. Preencha a matriz de bytes obtendo o valor do membro de dados BLOB do objeto binaryData.
  13. Crie um objeto System.IO.BinaryWriter chamando seu construtor e passando o objeto System.IO.FileStream.
  14. Grave o conteúdo da matriz de bytes em um arquivo PDF chamando o método System.IO.BinaryWriter do objeto Write e transmitindo a matriz de bytes.

Chamada de serviço usando classes proxy Java e codificação Base64

Você pode chamar um serviço da AEM Forms usando classes proxy Java e Base64. Para chamar o serviço MyApplication/EncryptDocument usando classes proxy Java, execute as seguintes etapas:

  1. Crie classes proxy Java usando JAX-WS que consome o serviço MyApplication/EncryptDocument WSDL. Use o seguinte ponto de extremidade WSDL:

    https://hiro-xp:8080/soap/services/MyApplication/EncryptDocument?WSDL&lc_version=9.0.1

    OBSERVAÇÃO

    Substitua hiro-xp* pelo endereço IP do servidor de aplicativos J2EE que hospeda o AEM Forms. *

  2. Compacte as classes proxy Java criadas usando JAX-WS em um arquivo JAR.

  3. Inclua o arquivo JAR do proxy Java e os arquivos JAR localizados no seguinte caminho:

    <install Directory="">\Adobe\Adobe_Experience_Manager_forms\sdk\client-libs\thirdparty

    no caminho da classe do seu projeto do cliente Java.

  4. Crie um objeto MyApplicationEncryptDocumentService usando seu construtor.

  5. Crie um objeto MyApplicationEncryptDocument chamando o método MyApplicationEncryptDocumentService getEncryptDocument do objeto.

  6. Defina os valores de conexão necessários para chamar o AEM Forms atribuindo valores aos seguintes membros de dados:

    • Atribua o ponto de extremidade WSDL e o tipo de codificação ao campo javax.xml.ws.BindingProvider do objeto ENDPOINT_ADDRESS_PROPERTY. Para chamar o serviço MyApplication/EncryptDocument usando a codificação Base64, especifique o seguinte valor de URL:

      https://hiro-xp:8080/soap/services/MyApplication/EncryptDocument?blob=base64

    • Atribua o usuário dos formulários AEM ao campo javax.xml.ws.BindingProvider do objeto USERNAME_PROPERTY.

    • Atribua o valor da senha correspondente ao campo javax.xml.ws.BindingProvider PASSWORD_PROPERTY do objeto.

    O código de exemplo a seguir mostra essa lógica do aplicativo:

     //Set connection values required to invoke AEM Forms 
     String url = "https://hiro-xp:8080/soap/services/MyApplication/EncryptDocument?blob=base64"; 
     String username = "administrator"; 
     String password = "password"; 
     ((BindingProvider) encryptDocClient).getRequestContext().put(BindingProvider.ENDPOINT_ADDRESS_PROPERTY, url); 
     ((BindingProvider) encryptDocClient).getRequestContext().put(BindingProvider.USERNAME_PROPERTY, username); 
     ((BindingProvider) encryptDocClient).getRequestContext().put(BindingProvider.PASSWORD_PROPERTY, password);
    
  7. Recupere o documento PDF para enviar ao processo MyApplication/EncryptDocument criando um objeto java.io.FileInputStream usando seu construtor. Passe um valor de string que especifica o local do documento PDF.

  8. Crie uma matriz de bytes e preencha-a com o conteúdo do objeto java.io.FileInputStream.

  9. Crie um objeto BLOB usando seu construtor.

  10. Preencha o objeto BLOB chamando seu método setBinaryData e passando a matriz de bytes. O BLOB do objeto setBinaryData é o método a ser chamado ao usar a codificação Base64. Consulte Fornecimento de objetos BLOB em solicitações de serviço.

  11. Chame o processo MyApplication/EncryptDocument chamando o método MyApplicationEncryptDocument do objeto invoke. Passe o objeto BLOB que contém o documento PDF. O método invoke retorna um objeto BLOB que contém o documento PDF criptografado.

  12. Crie uma matriz de bytes que contenha o documento PDF criptografado chamando o método BLOB do objeto getBinaryData.

  13. Salve o documento PDF criptografado como um arquivo PDF. Grave a matriz de bytes em um arquivo.

Consulte também:

Início rápido: Chamada de serviço usando arquivos proxy Java e codificação Base64

Criando um assembly de cliente .NET que usa codificação Base64

Chamar o AEM Forms usando MTOM

Você pode chamar os serviços da AEM Forms usando o MTOM padrão do serviço da Web. Esse padrão define como os dados binários, como um documento PDF, são transmitidos pela Internet ou pela intranet. Um recurso do MTOM é o uso do elemento XOP:Include. Esse elemento é definido na especificação XML Binary Otimized Packaging (XOP) para fazer referência aos anexos binários de uma mensagem SOAP.

A discussão aqui é sobre o uso do MTOM para invocar o seguinte processo de curta duração do AEM Forms chamado MyApplication/EncryptDocument.

OBSERVAÇÃO

Esse processo não se baseia em um processo AEM Forms existente. Para seguir junto com o exemplo de código, crie um processo chamado MyApplication/EncryptDocument usando o Workbench. (Consulte Usando Workbench.)

Quando esse processo é chamado, ele executa as seguintes ações:

  1. Obtém o documento PDF não seguro passado para o processo. Esta ação é baseada na operação SetValue. O parâmetro de entrada desse processo é uma variável de processo document chamada inDoc.
  2. Criptografa o documento PDF com uma senha. Esta ação é baseada na operação PasswordEncryptPDF. O documento PDF criptografado por senha é retornado em uma variável de processo chamada outDoc.
OBSERVAÇÃO

O suporte para MTOM foi adicionado no AEM Forms, versão 9.

OBSERVAÇÃO

Os aplicativos baseados em WS JAX que usam o protocolo de transmissão MTOM são limitados a 25 MB de dados enviados e recebidos. Essa limitação ocorre devido a um bug no JAX-WS. Se o tamanho combinado dos arquivos enviados e recebidos exceder 25 MB, use o protocolo de transmissão SwaRef em vez do MTOM. Caso contrário, há a possibilidade de uma exceção OutOfMemory.

A discussão aqui é sobre o uso do MTOM dentro de um projeto do Microsoft .NET para chamar os serviços do AEM Forms. O .NET Framework usado é 3.5, e o ambiente de desenvolvimento é Visual Studio 2008. Se você tiver o WSE (Web Service Enhancements, Melhorias de serviço da Web) instalado no computador de desenvolvimento, remova-o. O .NET 3.5 Framework suporta uma estrutura SOAP chamada Windows Communication Foundation (WCF). Ao invocar o AEM Forms usando o MTOM, somente o WCF (não WSE) é compatível.

Criando um projeto .NET que chama um serviço usando MTOM

Você pode criar um projeto do Microsoft .NET que possa chamar um serviço do AEM Forms usando serviços da Web. Primeiro, crie um projeto do Microsoft .NET usando o Visual Studio 2008. Para chamar um serviço do AEM Forms, crie uma Referência de serviço para o serviço do AEM Forms que você deseja chamar em seu projeto. Ao criar uma Referência de serviço, especifique um URL para o serviço AEM Forms:

 http://localhost:8080/soap/services/MyApplication/EncryptDocument?WSDL&lc_version=9.0.1

Substitua localhost pelo endereço IP do servidor de aplicativos J2EE que hospeda o AEM Forms. Substitua MyApplication/EncryptDocument pelo nome do serviço AEM Forms a ser chamado. Por exemplo, para invocar uma operação de Rights Management, especifique:

http://localhost:8080/soap/services/RightsManagementService?WSDL&lc_version=9.0.1

A opção lc_version garante que a funcionalidade do AEM Forms, como MTOM, esteja disponível. Sem especificar a opção lc_version, não é possível chamar o AEM Forms usando MTOM.

Após criar uma Referência de serviço, os tipos de dados associados ao serviço do AEM Forms estarão disponíveis para uso em seu projeto .NET. Para criar um projeto .NET que chame um serviço AEM Forms, execute as seguintes etapas:

  1. Crie um projeto .NET usando o Microsoft Visual Studio 2008.

  2. No menu Project, selecione Adicionar Referência de Serviço.

  3. Na caixa de diálogo Address, especifique o WSDL para o serviço AEM Forms. Por exemplo,

     http://localhost:8080/soap/services/MyApplication/EncryptDocument?WSDL&lc_version=9.0.1
    
  4. Clique em e clique em OK.

Chamar um serviço usando MTOM em um projeto .NET

Considere o processo MyApplication/EncryptDocument que aceita um documento PDF não seguro e retorna um documento PDF criptografado por senha. Para invocar o processo MyApplication/EncryptDocument (que foi criado no Workbench) usando o MTOM, execute as seguintes etapas:

  1. Crie um projeto do Microsoft .NET.

  2. Crie um objeto MyApplication_EncryptDocumentClient usando seu construtor padrão.

  3. Crie um objeto MyApplication_EncryptDocumentClient.Endpoint.Address usando o construtor System.ServiceModel.EndpointAddress. Passe um valor de string que especifica o WSDL para o serviço AEM Forms e o tipo de codificação:

     https://hiro-xp:8080/soap/services/MyApplication/EncryptDocument?blob=mtom
    

    Você não precisa usar o atributo lc_version. Esse atributo é usado ao criar uma referência de serviço. No entanto, especifique ?blob=mtom.

    OBSERVAÇÃO

    Substitua hiro-xp* pelo endereço IP do servidor de aplicativos J2EE que hospeda o AEM Forms. *

  4. Crie um objeto System.ServiceModel.BasicHttpBinding obtendo o valor do membro de dados EncryptDocumentClient.Endpoint.Binding. Converta o valor de retorno em BasicHttpBinding.

  5. Defina o membro de dados System.ServiceModel.BasicHttpBinding do objeto MessageEncoding para WSMessageEncoding.Mtom. Esse valor garante que o MTOM seja usado.

  6. Ative a autenticação HTTP básica executando as seguintes tarefas:

    • Atribua o nome de usuário dos formulários AEM ao membro de dados MyApplication_EncryptDocumentClient.ClientCredentials.UserName.UserName.
    • Atribua o valor da senha correspondente ao membro de dados MyApplication_EncryptDocumentClient.ClientCredentials.UserName.Password.
    • Atribua o valor constante HttpClientCredentialType.Basic ao membro de dados BasicHttpBindingSecurity.Transport.ClientCredentialType.
    • Atribua o valor constante BasicHttpSecurityMode.TransportCredentialOnly ao membro de dados BasicHttpBindingSecurity.Security.Mode.

    O código de exemplo a seguir mostra essas tarefas.

     //Enable BASIC HTTP authentication 
     encryptProcess.ClientCredentials.UserName.UserName = "administrator"; 
     encryptProcess.ClientCredentials.UserName.Password = "password"; 
     b.Security.Transport.ClientCredentialType = HttpClientCredentialType.Basic; 
     b.Security.Mode = BasicHttpSecurityMode.TransportCredentialOnly; 
     b.MaxReceivedMessageSize = 4000000; 
     b.MaxBufferSize = 4000000; 
     b.ReaderQuotas.MaxArrayLength = 4000000;
    
  7. Crie um objeto BLOB usando seu construtor. O objeto BLOB é usado para armazenar um documento PDF a ser passado para o processo MyApplication/EncryptDocument.

  8. Crie um objeto System.IO.FileStream chamando seu construtor. Passe um valor de string que representa o local do arquivo do documento PDF e o modo no qual o arquivo deve ser aberto.

  9. Crie uma matriz de bytes que armazene o conteúdo do objeto System.IO.FileStream. Você pode determinar o tamanho da matriz de bytes obtendo a propriedade System.IO.FileStream do objeto Length.

  10. Preencha a matriz de bytes com dados de fluxo chamando o método System.IO.FileStream do objeto Read. Passe a matriz de bytes, a posição inicial e o comprimento do fluxo para ler.

  11. Preencha o objeto BLOB atribuindo seu membro de dados MTOM ao conteúdo da matriz de bytes.

  12. Chame o processo MyApplication/EncryptDocument chamando o método MyApplication_EncryptDocumentClient do objeto invoke. Passe o objeto BLOB que contém o documento PDF. Esse processo retorna um documento PDF criptografado dentro de um objeto BLOB.

  13. Crie um objeto System.IO.FileStream chamando seu construtor e passando um valor de string que representa o local do arquivo do documento PDF seguro.

  14. Crie uma matriz de bytes que armazene o conteúdo de dados do objeto BLOB retornado pelo método invoke. Preencha a matriz de bytes obtendo o valor do membro de dados BLOB do objeto MTOM.

  15. Crie um objeto System.IO.BinaryWriter chamando seu construtor e passando o objeto System.IO.FileStream.

  16. Grave o conteúdo da matriz de bytes em um arquivo PDF chamando o método System.IO.BinaryWriter do objeto Write e transmitindo a matriz de bytes.

OBSERVAÇÃO

A maioria das operações do serviço AEM Forms tem uma inicialização rápida de MTOM. Você pode visualizar essas inicializações rápidas na seção de início rápido correspondente de um serviço. Por exemplo, para ver a seção Saída de início rápido, consulte Saída da API de serviço de início rápido.

Consulte também:

Início rápido: Chamar um serviço usando MTOM em um projeto .NET

Acesso a vários serviços usando serviços da Web

Criando um aplicativo Web ASP.NET que invoque um processo de vida longa centrado em humanos

Chamar o AEM Forms usando SwaRef

Você pode chamar os serviços da AEM Forms usando SwaRef. O conteúdo do elemento XML wsi:swaRef é enviado como um anexo dentro de um corpo SOAP que armazena a referência ao anexo. Ao chamar um serviço Forms usando SwaRef, crie classes proxy Java usando a API Java para XML Web Services (JAX-WS). (Consulte API do Java para XML Web Services.)

A discussão aqui é sobre invocar o seguinte processo de curta duração do Forms chamado MyApplication/EncryptDocument usando SwaRef.

OBSERVAÇÃO

Esse processo não se baseia em um processo AEM Forms existente. Para seguir junto com o exemplo de código, crie um processo chamado MyApplication/EncryptDocument usando o Workbench. (Consulte Usando Workbench.)

Quando esse processo é chamado, ele executa as seguintes ações:

  1. Obtém o documento PDF não seguro passado para o processo. Esta ação é baseada na operação SetValue. O parâmetro de entrada desse processo é uma variável de processo document chamada inDoc.
  2. Criptografa o documento PDF com uma senha. Esta ação é baseada na operação PasswordEncryptPDF. O documento PDF criptografado por senha é retornado em uma variável de processo chamada outDoc.
OBSERVAÇÃO

Suporte a SwaRef adicionado no AEM Forms

A discussão abaixo é sobre como invocar os serviços da Forms usando SwaRef em um aplicativo cliente Java. O aplicativo Java usa classes proxy criadas usando JAX-WS.

Chamar um serviço usando arquivos da biblioteca JAX-WS que usam SwaRef

Para invocar o processo MyApplication/EncryptDocument usando arquivos proxy Java criados usando JAX-WS e SwaRef, execute as seguintes etapas:

  1. Crie classes proxy Java usando JAX-WS que consome o serviço MyApplication/EncryptDocument WSDL. Use o seguinte ponto de extremidade WSDL:

     https://hiro-xp:8080/soap/services/MyApplication/EncryptDocument?WSDL&lc_version=9.0.1
    

    Para obter informações, consulte Criação de classes proxy Java usando JAX-WS.

    OBSERVAÇÃO

    Substitua hiro-xp* pelo endereço IP do servidor de aplicativos J2EE que hospeda o AEM Forms. *

  2. Compacte as classes proxy Java criadas usando JAX-WS em um arquivo JAR.

  3. Inclua o arquivo JAR do proxy Java e os arquivos JAR localizados no seguinte caminho:

    <install Directory="">\Adobe\Adobe_Experience_Manager_forms\sdk\client-libs\thirdparty

    no caminho da classe do seu projeto do cliente Java.

  4. Crie um objeto MyApplicationEncryptDocumentService usando seu construtor.

  5. Crie um objeto MyApplicationEncryptDocument chamando o método MyApplicationEncryptDocumentService getEncryptDocument do objeto.

  6. Defina os valores de conexão necessários para chamar o AEM Forms atribuindo valores aos seguintes membros de dados:

    • Atribua o ponto de extremidade WSDL e o tipo de codificação ao campo javax.xml.ws.BindingProvider do objeto ENDPOINT_ADDRESS_PROPERTY. Para chamar o serviço MyApplication/EncryptDocument usando a codificação SwaRef, especifique o seguinte valor de URL:

       https://hiro-xp:8080/soap/services/MyApplication/EncryptDocument?blob=swaref

    • Atribua o usuário dos formulários AEM ao campo javax.xml.ws.BindingProvider do objeto USERNAME_PROPERTY.

    • Atribua o valor da senha correspondente ao campo javax.xml.ws.BindingProvider PASSWORD_PROPERTY do objeto.

    O código de exemplo a seguir mostra essa lógica do aplicativo:

     //Set connection values required to invoke AEM Forms 
     String url = "https://hiro-xp:8080/soap/services/MyApplication/EncryptDocument?blob=swaref"; 
     String username = "administrator"; 
     String password = "password"; 
     ((BindingProvider) encryptDocClient).getRequestContext().put(BindingProvider.ENDPOINT_ADDRESS_PROPERTY, url); 
     ((BindingProvider) encryptDocClient).getRequestContext().put(BindingProvider.USERNAME_PROPERTY, username); 
     ((BindingProvider) encryptDocClient).getRequestContext().put(BindingProvider.PASSWORD_PROPERTY, password);
    
  7. Recupere o documento PDF para enviar ao processo MyApplication/EncryptDocument criando um objeto java.io.File usando seu construtor. Passe um valor de string que especifica o local do documento PDF.

  8. Crie um objeto javax.activation.DataSource usando o construtor FileDataSource. Passe o objeto java.io.File.

  9. Crie um objeto javax.activation.DataHandler usando seu construtor e transmitindo o objeto javax.activation.DataSource.

  10. Crie um objeto BLOB usando seu construtor.

  11. Preencha o objeto BLOB chamando seu método setSwaRef e passando o objeto javax.activation.DataHandler.

  12. Chame o processo MyApplication/EncryptDocument chamando o método MyApplicationEncryptDocument do objeto invoke e transmitindo o objeto BLOB que contém o documento PDF. O método invoke retorna um objeto BLOB que contém um documento PDF criptografado.

  13. Preencha um objeto javax.activation.DataHandler chamando o método BLOB do objeto getSwaRef.

  14. Converta o objeto javax.activation.DataHandler em uma instância java.io.InputSteam chamando o método javax.activation.DataHandler do objeto getInputStream.

  15. Grave a instância java.io.InputSteam em um arquivo PDF que represente o documento PDF criptografado.

OBSERVAÇÃO

A maioria das operações do serviço AEM Forms tem uma inicialização rápida SwaRef. Você pode visualizar essas inicializações rápidas na seção de início rápido correspondente de um serviço. Por exemplo, para ver a seção Saída de início rápido, consulte Saída da API de serviço de início rápido.

Consulte também:

Início rápido: Chamar um serviço usando SwaRef em um projeto Java

Chamar o AEM Forms usando dados BLOB sobre HTTP

Você pode chamar os serviços da AEM Forms usando serviços da Web e transmitir dados BLOB via HTTP. Passar dados BLOB por HTTP é uma técnica alternativa em vez de usar codificação base64, DIME ou MIME. Por exemplo, você pode passar dados via HTTP em um projeto do Microsoft .NET que usa o aprimoramento do serviço da Web 3.0, que não é compatível com DIME ou MIME. Ao usar dados BLOB em HTTP, os dados de entrada são carregados antes que o serviço AEM Forms seja chamado.

"Chamar o AEM Forms usando dados BLOB sobre HTTP" discute chamar o seguinte processo AEM Forms de curta duração chamado MyApplication/EncryptDocument ao passar dados BLOB sobre HTTP.

OBSERVAÇÃO

Esse processo não se baseia em um processo AEM Forms existente. Para seguir junto com o exemplo de código, crie um processo chamado MyApplication/EncryptDocument usando o Workbench. (Consulte Usando Workbench.)

Quando esse processo é chamado, ele executa as seguintes ações:

  1. Obtém o documento PDF não seguro passado para o processo. Esta ação é baseada na operação SetValue. O parâmetro de entrada desse processo é uma variável de processo document chamada inDoc.
  2. Criptografa o documento PDF com uma senha. Esta ação é baseada na operação PasswordEncryptPDF. O documento PDF criptografado por senha é retornado em uma variável de processo chamada outDoc.
OBSERVAÇÃO

É recomendável que você esteja familiarizado com Chamar o AEM Forms usando SOAP. (Consulte Chamar o AEM Forms usando serviços da Web.)

Criando um assembly de cliente .NET que usa dados em HTTP

Para criar um assembly de cliente que use dados via HTTP, siga o processo especificado em Chamar AEM Forms usando codificação Base64. No entanto, altere o URL na classe proxy para incluir ?blob=http em vez de ?blob=base64. Essa ação garante que os dados sejam transmitidos por HTTP. Na classe proxy, localize a seguinte linha de código:

 "http://localhost:8080/soap/services/MyApplication/EncryptDocument";

e alterá-lo para:

 "http://localhost:8080/soap/services/MyApplication/EncryptDocument?blob=http";

Fazendo referência ao assembly .NET clienMyApplication/EncryptDocumentt

Coloque o novo assembly do cliente .NET no computador em que você está desenvolvendo seu aplicativo cliente. Depois de colocar o assembly do cliente .NET em um diretório, você pode referenciá-lo a partir de um projeto. Faça referência à biblioteca System.Web.Services do seu projeto. Se não fizer referência a esta biblioteca, não poderá utilizar a assemblagem de cliente .NET para invocar um serviço.

  1. No menu Project, selecione Adicionar referência.
  2. Clique na guia .NET.
  3. Clique em Procurar e localize o arquivo DocumentService.dll.
  4. Clique em Selecione e depois clique em OK.

Chamando um serviço usando um assembly de cliente .NET que usa dados BLOB via HTTP

Você pode chamar o serviço MyApplication/EncryptDocument (que foi criado no Workbench) usando um assembly de cliente .NET que usa dados sobre HTTP. Para chamar o serviço MyApplication/EncryptDocument, execute as seguintes etapas:

  1. Crie o assembly do cliente .NET.
  2. Faça referência ao assembly do cliente Microsoft .NET. Crie um projeto cliente do Microsoft .NET. Faça referência ao assembly do cliente Microsoft .NET no projeto do cliente. Consulte também System.Web.Services.
  3. Usando o assembly do cliente Microsoft .NET, crie um objeto MyApplication_EncryptDocumentService chamando seu construtor padrão.
  4. Defina a propriedade MyApplication_EncryptDocumentService do objeto Credentials com um objeto System.Net.NetworkCredential. No construtor System.Net.NetworkCredential, especifique um nome de usuário para formulários AEM e a senha correspondente. Defina valores de autenticação para permitir que o aplicativo cliente .NET troque mensagens SOAP com AEM Forms com êxito.
  5. Crie um objeto BLOB usando seu construtor. O objeto BLOB é usado para transmitir dados para o processo MyApplication/EncryptDocument.
  6. Atribua um valor de string ao membro de dados remoteURL do objeto que especifica o local URI de um documento PDF a ser transmitido ao serviço MyApplication/EncryptDocument.BLOB
  7. Chame o processo MyApplication/EncryptDocument chamando o método MyApplication_EncryptDocumentService do objeto invoke e transmitindo o objeto BLOB. Esse processo retorna um documento PDF criptografado dentro de um objeto BLOB.
  8. Crie um objeto System.UriBuilder usando seu construtor e transmitindo o valor do membro de dados BLOB do objeto retornado remoteURL.
  9. Converta o objeto System.UriBuilder em um objeto System.IO.Stream. (O C# Quick Start que segue esta lista ilustra como executar esta tarefa.)
  10. Crie uma matriz de bytes e preencha-a com os dados localizados no objeto System.IO.Stream .
  11. Crie um objeto System.IO.BinaryWriter chamando seu construtor e passando o objeto System.IO.FileStream.
  12. Grave o conteúdo da matriz de bytes em um arquivo PDF chamando o método System.IO.BinaryWriter do objeto Write e transmitindo a matriz de bytes.

Chamar um serviço usando classes proxy Java e dados BLOB por HTTP

Você pode chamar um serviço da AEM Forms usando classes proxy Java e dados BLOB via HTTP. Para chamar o serviço MyApplication/EncryptDocument usando classes proxy Java, execute as seguintes etapas:

  1. Crie classes proxy Java usando JAX-WS que consome o serviço MyApplication/EncryptDocument WSDL. Use o seguinte ponto de extremidade WSDL:

     https://hiro-xp:8080/soap/services/MyApplication/EncryptDocument?WSDL&lc_version=9.0.1
    

    Para obter informações, consulte Criação de classes proxy Java usando JAX-WS.

    OBSERVAÇÃO

    Substitua hiro-xp* pelo endereço IP do servidor de aplicativos J2EE que hospeda o AEM Forms. *

  2. Compacte as classes proxy Java criadas usando JAX-WS em um arquivo JAR.

  3. Inclua o arquivo JAR do proxy Java e os arquivos JAR localizados no seguinte caminho:

    <install Directory="">\Adobe\Adobe_Experience_Manager_forms\sdk\client-libs\thirdparty

    no caminho da classe do seu projeto do cliente Java.

  4. Crie um objeto MyApplicationEncryptDocumentService usando seu construtor.

  5. Crie um objeto MyApplicationEncryptDocument chamando o método MyApplicationEncryptDocumentService getEncryptDocument do objeto.

  6. Defina os valores de conexão necessários para chamar o AEM Forms atribuindo valores aos seguintes membros de dados:

    • Atribua o ponto de extremidade WSDL e o tipo de codificação ao campo javax.xml.ws.BindingProvider do objeto ENDPOINT_ADDRESS_PROPERTY. Para chamar o serviço MyApplication/EncryptDocument usando BLOB sobre a codificação HTTP, especifique o seguinte valor de URL:

      https://hiro-xp:8080/soap/services/MyApplication/EncryptDocument?blob=http

    • Atribua o usuário dos formulários AEM ao campo javax.xml.ws.BindingProvider do objeto USERNAME_PROPERTY.

    • Atribua o valor da senha correspondente ao campo javax.xml.ws.BindingProvider PASSWORD_PROPERTY do objeto.

    O código de exemplo a seguir mostra essa lógica do aplicativo:

     //Set connection values required to invoke AEM Forms 
     String url = "https://hiro-xp:8080/soap/services/MyApplication/EncryptDocument?blob=http"; 
     String username = "administrator"; 
     String password = "password"; 
     ((BindingProvider) encryptDocClient).getRequestContext().put(BindingProvider.ENDPOINT_ADDRESS_PROPERTY, url); 
     ((BindingProvider) encryptDocClient).getRequestContext().put(BindingProvider.USERNAME_PROPERTY, username); 
     ((BindingProvider) encryptDocClient).getRequestContext().put(BindingProvider.PASSWORD_PROPERTY, password);
    
  7. Crie um objeto BLOB usando seu construtor.

  8. Preencha o objeto BLOB chamando seu método setRemoteURL. Passe um valor de string que especifica o local do URI de um documento PDF a ser passado para o serviço MyApplication/EncryptDocument.

  9. Chame o processo MyApplication/EncryptDocument chamando o método MyApplicationEncryptDocument do objeto invoke e transmitindo o objeto BLOB que contém o documento PDF. Esse processo retorna um documento PDF criptografado dentro de um objeto BLOB.

  10. Crie uma matriz de bytes para armazenar o fluxo de dados que representa o documento PDF criptografado. Chame o método BLOB do objeto getRemoteURL (use o objeto BLOB retornado pelo método invoke).

  11. Crie um objeto java.io.File usando seu construtor. Esse objeto representa o documento PDF criptografado.

  12. Crie um objeto java.io.FileOutputStream usando seu construtor e transmitindo o objeto java.io.File.

  13. Chame o método java.io.FileOutputStream do objeto write. Passe a matriz de bytes que contém o fluxo de dados que representa o documento PDF criptografado.

Chamar o AEM Forms usando DIME

Você pode chamar os serviços da AEM Forms usando SOAP com anexos. O AEM Forms oferece suporte aos padrões de serviço da Web MIME e DIME. O DIME permite enviar anexos binários, como documentos PDF, juntamente com solicitações de invocação em vez de codificar o anexo. A seção Chamar o AEM Forms usando DIME discute invocar o seguinte processo de curta duração do AEM Forms chamado MyApplication/EncryptDocument usando DIME.

Quando esse processo é chamado, ele executa as seguintes ações:

  1. Obtém o documento PDF não seguro passado para o processo. Esta ação é baseada na operação SetValue. O parâmetro de entrada desse processo é uma variável de processo document chamada inDoc.
  2. Criptografa o documento PDF com uma senha. Esta ação é baseada na operação PasswordEncryptPDF. O documento PDF criptografado por senha é retornado em uma variável de processo chamada outDoc.

Esse processo não se baseia em um processo AEM Forms existente. Para seguir junto com os exemplos de código, crie um processo chamado MyApplication/EncryptDocument**usando o Workbench. (Consulte Usando Workbench.)

OBSERVAÇÃO

Chamar operações do serviço AEM Forms usando DIME está obsoleto. Recomenda-se utilizar MTOM. (Consulte Chamar o AEM Forms usando MTOM.)

Criando um projeto .NET que usa DIME

Para criar um projeto .NET que possa invocar um serviço Forms usando DIME, execute as seguintes tarefas:

  • Instale os Aprimoramentos de serviços da Web 2.0 em seu computador de desenvolvimento.
  • A partir do seu projeto .NET, crie uma referência da Web para o serviço Forms do FormsAEM.

Instalação dos aprimoramentos de serviços da Web 2.0

Instale os Aprimoramentos de Serviços Web 2.0 em seu computador de desenvolvimento e integre-o ao Microsoft Visual Studio .NET. Você pode baixar os Aprimoramentos de Serviços Web 2.0 no Microsoft Download Center.

Nesta página da Web, procure por Aprimoramentos de serviços da Web 2.0 e baixe-os no computador de desenvolvimento. Este download coloca um arquivo chamado Microsoft WSE 2.0 SPI.msi em seu computador. Execute o programa de instalação e siga as instruções online.

OBSERVAÇÃO

Os Aprimoramentos de serviços da Web 2.0 são compatíveis com o DIME. A versão suportada do Microsoft Visual Studio é 2003 ao trabalhar com os Aprimoramentos de Serviços Web 2.0. Os Aprimoramentos de Serviços Web 3.0 não são compatíveis com DIME; no entanto, ele suporta MTOM.

Criação de uma referência da Web para um serviço AEM Forms

Depois de instalar os Aprimoramentos de Serviços Web 2.0 em seu computador de desenvolvimento e criar um projeto do Microsoft .NET, crie uma referência da Web para o serviço Forms. Por exemplo, para criar uma referência da Web para o processo MyApplication/EncryptDocument e supondo que o Forms esteja instalado no computador local, especifique o seguinte URL:

     http://localhost:8080/soap/services/MyApplication/EncryptDocument?WSDL

Após criar uma referência da Web, os dois tipos de dados proxy a seguir estão disponíveis para você usar em seu projeto .NET: EncryptDocumentService e EncryptDocumentServiceWse. Para invocar o processo MyApplication/EncryptDocument usando DIME, use o tipo EncryptDocumentServiceWse.

OBSERVAÇÃO

Antes de criar uma referência da Web para o serviço Forms, verifique se você faz referência às Melhorias 2.0 dos serviços da Web no seu projeto. (Consulte "Instalar aprimoramentos de serviços da Web 2.0".)

Referência à biblioteca WSE

  1. No menu Projeto , selecione Adicionar referência.
  2. Na caixa de diálogo Adicionar referência, selecione Microsoft.Web.Services2.dll.
  3. Selecione System.Web.Services.dll.
  4. Clique em Selecionar e em OK.

Criar uma referência da Web para um serviço Forms

  1. No menu Projeto , selecione Adicionar referência à Web.
  2. Na caixa de diálogo URL, especifique o URL para o serviço Forms.
  3. Clique em Ir e em Adicionar referência.
OBSERVAÇÃO

Certifique-se de ativar o projeto .NET para usar a biblioteca WSE. No Explorador de projetos, clique com o botão direito do mouse no nome do projeto e selecione Ativar WSE 2.0. Certifique-se de que a caixa de seleção na caixa de diálogo exibida está selecionada.

Chamando um serviço usando DIME em um projeto .NET

Você pode chamar um serviço Forms usando DIME. Considere o processo MyApplication/EncryptDocument que aceita um documento PDF não seguro e retorna um documento PDF criptografado por senha. Para invocar o processo MyApplication/EncryptDocument usando DIME, execute as seguintes etapas:

  1. Crie um projeto do Microsoft .NET que permita que você chame um serviço Forms usando DIME. Certifique-se de incluir os Aprimoramentos de serviços da Web 2.0 e criar uma referência da Web para o serviço AEM Forms.

  2. Depois de definir uma referência da Web para o processo MyApplication/EncryptDocument, crie um objeto EncryptDocumentServiceWse usando seu construtor padrão.

  3. Defina o membro de dados EncryptDocumentServiceWse do objeto Credentials com um valor System.Net.NetworkCredential que especifique o nome de usuário e o valor de senha dos formulários AEM.

  4. Crie um objeto Microsoft.Web.Services2.Dime.DimeAttachment usando seu construtor e transmitindo os seguintes valores:

    • Um valor de string que especifica um valor de GUID. Você pode obter um valor de GUID chamando o método System.Guid.NewGuid.ToString.
    • Um valor de string que especifica o tipo de conteúdo. Como esse processo requer um documento PDF, especifique application/pdf.
    • Um valor de enumeração TypeFormat. Especifique TypeFormat.MediaType.
    • Um valor da string que especifica o local do documento PDF a ser transmitido ao processo do AEM Forms.
  5. Crie um objeto BLOB usando seu construtor.

  6. Adicione o anexo DIME ao objeto BLOB atribuindo o valor Microsoft.Web.Services2.Dime.DimeAttachment do membro de dados do objeto Id ao membro de dados BLOB do objeto attachmentID.

  7. Chame o método EncryptDocumentServiceWse.RequestSoapContext.Attachments.Add e passe o objeto Microsoft.Web.Services2.Dime.DimeAttachment.

  8. Chame o processo MyApplication/EncryptDocument chamando o método EncryptDocumentServiceWse do objeto invoke e transmitindo o objeto BLOB que contém o anexo DIME. Esse processo retorna um documento PDF criptografado dentro de um objeto BLOB.

  9. Obtenha o valor do identificador de anexo obtendo o valor do membro de dados BLOB do objeto retornado attachmentID.

  10. Itere pelos anexos localizados em EncryptDocumentServiceWse.ResponseSoapContext.Attachments e use o valor do identificador de anexo para obter o documento PDF criptografado.

  11. Obtenha um objeto System.IO.Stream obtendo o valor do membro de dados Attachment do objeto Stream.

  12. Crie uma matriz de bytes e passe essa matriz de bytes para o método System.IO.Stream do objeto Read. Esse método preenche a matriz de bytes com um fluxo de dados que representa o documento PDF criptografado.

  13. Crie um objeto System.IO.FileStream chamando seu construtor e passando um valor de string que representa um local de arquivo PDF. Esse objeto representa o documento PDF criptografado.

  14. Crie um objeto System.IO.BinaryWriter chamando seu construtor e passando o objeto System.IO.FileStream.

  15. Grave o conteúdo da matriz de bytes no arquivo PDF chamando o método System.IO.BinaryWriter do objeto Write e transmitindo a matriz de bytes.

Criando classes proxy Java do Apache Axis que usam DIME

Você pode usar a ferramenta Apache Axis WSDL2Java para converter um WSDL de serviço em classes proxy Java para que possa chamar operações de serviço. Usando o Apache Ant, você pode gerar arquivos de biblioteca do Axis a partir de um WSDL de serviço da AEM Forms que permite chamar o serviço. (Consulte Criação de classes proxy Java usando o Apache Axis.)

A ferramenta Apache Axis WSDL2Java gera arquivos JAVA que contêm métodos usados para enviar solicitações SOAP a um serviço. As solicitações SOAP recebidas por um serviço são decodificadas pelas bibliotecas geradas pelo Axis e transformadas em métodos e argumentos.

Para chamar o serviço MyApplication/EncryptDocument (que foi criado no Workbench) usando arquivos de biblioteca gerados pelo Axis e DIME, execute as seguintes etapas:

  1. Crie classes proxy Java que consomem o WSDL do serviço MyApplication/EncryptDocument usando o Apache Axis. (Consulte Criação de classes proxy Java usando o Apache Axis.)

  2. Inclua as classes proxy Java no caminho da classe.

  3. Crie um objeto MyApplicationEncryptDocumentServiceLocator usando seu construtor.

  4. Crie um objeto URL usando seu construtor e passando um valor de string que especifica a definição WSDL do serviço AEM Forms. Certifique-se de especificar ?blob=dime no final do URL do ponto de extremidade SOAP. Por exemplo, use

     https://hiro-xp:8080/soap/services/MyApplication/EncryptDocument?blob=dime.
    
  5. Crie um objeto EncryptDocumentSoapBindingStub chamando seu construtor e passando o objeto MyApplicationEncryptDocumentServiceLocatore o objeto URL.

  6. Defina o nome de usuário e o valor da senha dos formulários AEM chamando os métodos EncryptDocumentSoapBindingStub e setPassword do objeto.setUsername

     encryptionClientStub.setUsername("administrator"); 
     encryptionClientStub.setPassword("password");
    
  7. Recupere o documento PDF para enviar ao serviço MyApplication/EncryptDocument criando um objeto java.io.File. Passe um valor de string que especifica o local do documento PDF.

  8. Crie um objeto javax.activation.DataHandler usando seu construtor e transmitindo um objeto javax.activation.FileDataSource. O objeto javax.activation.FileDataSource pode ser criado usando seu construtor e passando o objeto java.io.File que representa o documento PDF.

  9. Crie um objeto org.apache.axis.attachments.AttachmentPart usando seu construtor e transmitindo o objeto javax.activation.DataHandler.

  10. Anexe o anexo chamando o método EncryptDocumentSoapBindingStub do objeto addAttachment e passando o objeto org.apache.axis.attachments.AttachmentPart.

  11. Crie um objeto BLOB usando seu construtor. Preencha o objeto BLOB com o valor do identificador de anexo chamando o método BLOB do objeto setAttachmentID e transmitindo o valor do identificador de anexo. Esse valor pode ser obtido chamando o método org.apache.axis.attachments.AttachmentPart do objeto getContentId.

  12. Chame o processo MyApplication/EncryptDocument chamando o método EncryptDocumentSoapBindingStub do objeto invoke. Passe o objeto BLOB que contém o anexo DIME. Esse processo retorna um documento PDF criptografado dentro de um objeto BLOB.

  13. Obtenha o valor do identificador de anexo chamando o método BLOB do objeto retornado getAttachmentID. Esse método retorna um valor de string que representa o valor identificador do anexo retornado.

  14. Recupere os anexos chamando o método EncryptDocumentSoapBindingStub do objeto getAttachments. Esse método retorna uma matriz de Objects que representa os anexos.

  15. Itere pelos anexos (a matriz Object) e use o valor do identificador de anexo para obter o documento PDF criptografado. Cada elemento é um objeto org.apache.axis.attachments.AttachmentPart .

  16. Obtenha o objeto javax.activation.DataHandler associado ao anexo chamando o método org.apache.axis.attachments.AttachmentPart do objeto getDataHandler.

  17. Obtenha um objeto java.io.FileStream chamando o método javax.activation.DataHandler do objeto getInputStream.

  18. Crie uma matriz de bytes e passe essa matriz de bytes para o método java.io.FileStream do objeto read. Esse método preenche a matriz de bytes com um fluxo de dados que representa o documento PDF criptografado.

  19. Crie um objeto java.io.File usando seu construtor. Esse objeto representa o documento PDF criptografado.

  20. Crie um objeto java.io.FileOutputStream usando seu construtor e transmitindo o objeto java.io.File.

  21. Chame o método java.io.FileOutputStream do objeto write e passe a matriz de bytes que contém o fluxo de dados que representa o documento PDF criptografado.

Consulte também:

Início rápido: Chamar um serviço usando DIME em um projeto Java

Usar a autenticação baseada em SAML

O AEM Forms oferece suporte a vários modos de autenticação de serviço da Web ao chamar serviços. Um modo de autenticação está especificando um nome de usuário e um valor de senha usando um cabeçalho de autorização básico na chamada de serviço da Web. O AEM Forms também oferece suporte à autenticação baseada em asserção SAML. Quando um aplicativo cliente chama um serviço da AEM Forms usando um serviço da Web, o aplicativo cliente pode fornecer informações de autenticação de uma das seguintes maneiras:

  • Transmissão de credenciais como parte da autorização básica
  • Enviar token de nome de usuário como parte do cabeçalho WS-Security
  • Enviar uma asserção SAML como parte do cabeçalho WS-Security
  • Enviar token Kerberos como parte do cabeçalho WS-Security

A AEM Forms não oferece suporte à autenticação baseada em certificado padrão, mas oferece suporte à autenticação baseada em certificado em um formulário diferente.

OBSERVAÇÃO

O serviço da Web inicia rapidamente em Programação com o AEM Forms para especificar os valores de nome de usuário e senha para executar a autorização.

A identidade dos usuários dos formulários de AEM pode ser representada por meio de uma asserção SAML assinada usando uma chave secreta. O código XML a seguir mostra um exemplo de uma asserção SAML.

 <Assertion xmlns="urn:oasis:names:tc:SAML:1.0:assertion" 
     xmlns:saml="urn:oasis:names:tc:SAML:1.0:assertion" 
     xmlns:samlp="urn:oasis:names:tc:SAML:1.0:protocol" 
     AssertionID="fd4bd0c87302780e0d9bbfa8726d5bc0" IssueInstant="2008-04-17T13:47:00.720Z" Issuer="LiveCycle" 
     MajorVersion="1" MinorVersion="1"> 
     <Conditions NotBefore="2008-04-17T13:47:00.720Z" NotOnOrAfter="2008-04-17T15:47:00.720Z"> 
     </Conditions> 
     <AuthenticationStatement 
         AuthenticationInstant="2008-04-17T13:47:00.720Z" 
         AuthenticationMethod="urn:oasis:names:tc:SAML:1.0:am:unspecified"> 
         <Subject> 
             <NameIdentifier NameQualifier="DefaultDom">administrator</NameIdentifier> 
             <SubjectConfirmation> 
                 <ConfirmationMethod>urn:oasis:names:tc:SAML:1.0:cm:sender-vouches</ConfirmationMethod> 
             </SubjectConfirmation> 
         </Subject> 
     </AuthenticationStatement> 
     <ds:Signature > 
         <ds:SignedInfo> 
             <ds:CanonicalizationMethod Algorithm="https://www.w3.org/2001/10/xml-exc-c14n#"></ds:CanonicalizationMethod> 
             <ds:SignatureMethod    Algorithm="https://www.w3.org/2000/09/xmldsig#hmac-sha1"></ds:SignatureMethod> 
             <ds:Reference URI="#fd4bd0c87302780e0d9bbfa8726d5bc0"> 
                 <ds:Transforms> 
                     <ds:Transform Algorithm="https://www.w3.org/2000/09/xmldsig#enveloped-signature"></ds:Transform> 
                     <ds:Transform Algorithm="https://www.w3.org/2001/10/xml-exc-c14n#"> 
                         <ec:InclusiveNamespaces     
                             PrefixList="code ds kind rw saml samlp typens #default"> 
                         </ec:InclusiveNamespaces> 
                     </ds:Transform> 
                 </ds:Transforms> 
                 <ds:DigestMethod Algorithm="https://www.w3.org/2000/09/xmldsig#sha1"></ds:DigestMethod> 
                 <ds:DigestValue>hVrtqjWr+VzaVUIpQx0YI9lIjaY=</ds:DigestValue> 
             </ds:Reference> 
         </ds:SignedInfo> 
         <ds:SignatureValue>UMbBb+cUcPtcWDCIhXes4n4FxfU=</ds:SignatureValue> 
     </ds:Signature> 
 </Assertion>

Esta asserção de exemplo é emitida para um usuário administrador. Essa asserção contém os seguintes itens observáveis:

  • É válido por um determinado período.
  • É emitido para um usuário específico.
  • Ele é assinado digitalmente. Então qualquer modificação feita quebraria a assinatura.
  • Ele pode ser apresentado ao AEM Forms como um token da identidade do usuário semelhante ao nome de usuário e senha.

Um aplicativo cliente pode recuperar a asserção de qualquer API do AEM Forms AuthenticationManager que retorna um objeto AuthResult. Você pode obter uma instância AuthResult executando um dos dois métodos a seguir:

  • Autenticar o usuário usando qualquer um dos métodos de autenticação expostos pela API do AuthenticationManager. Normalmente, você usaria o nome de usuário e a senha; no entanto, também é possível usar a autenticação de certificado.
  • Uso do método AuthenticationManager.getAuthResultOnBehalfOfUser. Esse método permite que um aplicativo cliente obtenha um objeto AuthResult para qualquer usuário de formulários AEM.

um usuário do AEM forms pode ser autenticado usando um token SAML obtido. Essa asserção SAML (fragmento xml) pode ser enviada como parte do cabeçalho WS-Security com a chamada de serviço da Web para autenticação de usuário. Normalmente, um aplicativo cliente autentica um usuário, mas não armazenou as credenciais do usuário. (Ou o usuário fez logon nesse cliente por meio de um mecanismo diferente do uso de um nome de usuário e senha.) Nessa situação, o aplicativo cliente deve chamar o AEM Forms e representar um usuário específico que tenha permissão para invocar o AEM Forms.

Para representar um usuário específico, chame o método AuthenticationManager.getAuthResultOnBehalfOfUser usando um serviço da Web. Esse método retorna uma instância AuthResult que contém a asserção SAML para esse usuário.

Em seguida, use essa asserção SAML para invocar qualquer serviço que exija autenticação. Essa ação envolve enviar a asserção como parte do cabeçalho SOAP. Quando uma chamada de serviço da Web é feita com essa asserção, o AEM Forms identifica o usuário como aquele representado por essa asserção. Ou seja, o usuário especificado na asserção é o usuário que está chamando o serviço.

Uso de classes do Apache Axis e autenticação baseada em SAML

Você pode chamar um serviço AEM Forms por classes proxy Java que foram criadas usando a biblioteca Eixo. (Consulte Criação de classes proxy Java usando o Apache Axis.)

Ao usar o AXIS que usa a autenticação baseada em SAML, registre o manipulador de solicitação e resposta no Axis. O Apache Axis chama o manipulador antes de enviar uma solicitação de invocação para o AEM Forms. Para registrar um manipulador, crie uma classe Java que estenda org.apache.axis.handlers.BasicHandler.

Criar um AssertionHandler com Eixo

A classe Java a seguir, chamada AssertionHandler.java, mostra um exemplo de uma classe Java que estende org.apache.axis.handlers.BasicHandler.

 public class AssertionHandler extends BasicHandler { 
        public void invoke(MessageContext ctx) throws AxisFault { 
            String assertion = (String) ctx.getProperty(LC_ASSERTION); 
  
            //no assertion hence nothing to insert 
            if(assertion == null) return;  
      
            try { 
                MessageElement samlElement = new MessageElement(convertToXML(assertion)); 
                SOAPHeader header = (SOAPHeader) ctx.getRequestMessage().getSOAPHeader(); 
                //Create the wsse:Security element which would contain the SAML element 
                SOAPElement wsseHeader = header.addChildElement("Security", "wsse", WSSE_NS); 
                wsseHeader.appendChild(samlElement); 
                //remove the actor attribute as in LC we do not specify any actor. This would not remove the actor attribute though 
                //it would only remove it from the soapenv namespace 
                wsseHeader.getAttributes().removeNamedItem("actor"); 
            } catch (SOAPException e) { 
                throw new AxisFault("Error occured while adding the assertion to the SOAP Header",e); 
            } 
        } 
 }

Registre o manipulador

Para registrar um manipulador no Axis, crie um arquivo client-config.wsdd . Por padrão, o Axis procura um arquivo com esse nome. O código XML a seguir é um exemplo de um arquivo client-config.wsdd . Consulte a documentação do Eixo para obter mais informações.

 <deployment xmlns="https://xml.apache.org/axis/wsdd/" xmlns:java="https://xml.apache.org/axis/wsdd/providers/java"> 
     <transport name="http" pivot="java:org.apache.axis.transport.http.HTTPSender"/> 
      <globalConfiguration > 
       <requestFlow > 
        <handler type="java:com.adobe.idp.um.example.AssertionHandler" /> 
       </requestFlow > 
      </globalConfiguration > 
 </deployment> 
 

Chamar um serviço AEM Forms

O exemplo de código a seguir chama um serviço AEM Forms usando a autenticação baseada em SAML.

 public class ImpersonationExample { 
        . . . 
        public void  authenticateOnBehalf(String superUsername,String password,  
                String canonicalName,String domainName) throws UMException, RemoteException{ 
            ((org.apache.axis.client.Stub) authenticationManager).setUsername(superUsername); 
            ((org.apache.axis.client.Stub) authenticationManager).setPassword(password); 
      
            //Step 1 - Invoke the Auth manager api to get an assertion for the user to be impersonated 
            AuthResult ar = authenticationManager.getAuthResultOnBehalfOfUser(canonicalName, domainName, null); 
            String assertion = ar.getAssertion(); 
            //Step 2 - Setting the assertion here to be picked later by the AssertionHandler. Note that stubs are not threadSafe 
            //hence should not be reused. For this simple example we have made them instance variable but care should be taken 
            //regarding the thread safety 
            ((javax.xml.rpc.Stub) authorizationManager)._setProperty(AssertionHandler.LC_ASSERTION, assertion); 
        } 
      
        public Role findRole(String roleId) throws UMException, RemoteException{ 
            //This api would be invoked under bob's user rights 
            return authorizationManager.findRole(roleId); 
        } 
      
        public static void main(String[] args) throws Exception { 
            ImpersonationExample ie = new ImpersonationExample("http://localhost:5555"); 
            //Get the SAML assertion for the user to impersonate and store it in stub 
            ie.authenticateOnBehalf( 
                    "administrator", //The Super user which has the required impersonation permission 
                    "password", // Password of the super user as referred above 
                    "bob", //Cannonical name of the user to impersonate 
                    "testdomain" //Domain of the user to impersonate 
                    ); 
      
            Role r = ie.findRole("BASIC_ROLE_ADMINISTRATOR"); 
            System.out.println("Role "+r.getName()); 
        } 
 }

Usando um assembly de cliente .NET e autenticação baseada em SAML

Você pode invocar um serviço Forms usando um assembly de cliente .NET e autenticação baseada em SAML. Para fazer isso, você deve usar o WSE (Web Service Aprimorments 3.0). Para obter informações sobre como criar um assembly de cliente .NET que usa WSE, consulte Criando um projeto .NET que usa DIME.

OBSERVAÇÃO

A seção DIME usa WSE 2.0. Para usar a autenticação baseada em SAML, siga as mesmas instruções especificadas no tópico DIME. No entanto, substitua WSE 2.0 por WSE 3.0. Instale os Aprimoramentos de Serviços Web 3.0 em seu computador de desenvolvimento e integre-o ao Microsoft Visual Studio .NET. Você pode baixar os Aprimoramentos de serviços da Web 3.0 no Microsoft Download Center.

A arquitetura WSE usa tipos de dados Políticas, Asserções e SecurityToken. Resumidamente, para uma chamada de serviço da Web, especifique uma política. Uma política pode ter várias asserções. Cada asserção pode conter filtros. Um filtro é chamado em determinados estágios em uma chamada de serviço da Web e, nesse momento, pode modificar a solicitação SOAP. Para obter detalhes completos, consulte a documentação Melhorias do serviço da Web 3.0 .

Criar a asserção e o filtro

O exemplo de código C# a seguir cria classes de filtro e asserção. Este exemplo de código cria um SamlAssertionOutputFilter. Esse filtro é chamado pela estrutura WSE antes da solicitação SOAP ser enviada para o AEM Forms.

 class LCSamlPolicyAssertion : Microsoft.Web.ServicES4.Design.PolicyAssertion 
 { 
        public override Microsoft.Web.ServicES4.SoapFilter CreateClientOutputFilter(FilterCreationContext context) 
        { 
           return new SamlAssertionOutputFilter(); 
        } 
        . . . 
 } 
  
      
 class SamlAssertionOutputFilter : SendSecurityFilter 
 { 
        public override void SecureMessage(SoapEnvelope envelope, Security security) 
        { 
           // Get the SamlToken from the SessionState 
           SamlToken samlToken = envelope.Context.Credentials.UltimateReceiver.GetClientToken<SamlToken>(); 
           security.Tokens.Add(samlToken); 
        } 
 }

Criar o token SAML

Crie uma classe para representar a asserção SAML. A principal tarefa executada por essa classe é converter valores de dados da string em xml e preservar o espaço em branco. Esse xml de asserção é importado posteriormente para a solicitação SOAP.

 class SamlToken : SecurityToken 
 { 
        public const string SAMLAssertion = "https://docs.oasis-open.org/wss/oasis-wss-saml-token-profile-1.1#SAMLV1.1"; 
        private XmlElement _assertionElement; 
  
        public SamlToken(string assertion) 
             : base(SAMLAssertion) 
        { 
           XmlDocument xmlDoc = new XmlDocument(); 
           //The white space has to be preserved else the digital signature would get broken 
           xmlDoc.PreserveWhitespace = true; 
           xmlDoc.LoadXml(assertion); 
           _assertionElement = xmlDoc.DocumentElement; 
         } 
      
         public override XmlElement GetXml(XmlDocument document) 
         { 
            return (XmlElement)document.ImportNode(_assertionElement, true); 
         } 
        . . .  
 }

Chamar um serviço AEM Forms

O exemplo de código C# a seguir chama um serviço Forms usando a autenticação baseada em SAML.

 public class ImpersonationExample 
 { 
        . . . 
        public void AuthenticateOnBehalf(string superUsername, string password, string canonicalName, string domainName) 
        { 
            //Create a policy for UsernamePassword Token 
            Policy usernamePasswordPolicy = new Policy(); 
            usernamePasswordPolicy.Assertions.Add(new UsernameOverTransportAssertion()); 
      
            UsernameToken token = new UsernameToken(superUsername, password, PasswordOption.SendPlainText); 
            authenticationManager.SetClientCredential(token); 
            authenticationManager.SetPolicy(usernamePasswordPolicy); 
  
            //Get the SAML assertion for impersonated user 
            AuthClient.AuthenticationManagerService.AuthResult ar  
                = authenticationManager.getAuthResultOnBehalfOfUser(canonicalName, domainName, null); 
            System.Console.WriteLine("Received assertion " + ar.assertion); 
  
            //Create a policy for inserting SAML assertion 
            Policy samlPolicy = new Policy(); 
            samlPolicy.Assertions.Add(new LCSamlPolicyAssertion()); 
            authorizationManager.SetPolicy(samlPolicy); 
            //Set the SAML assertion obtained previously as the token 
            authorizationManager.SetClientCredential(new SamlToken(ar.assertion)); 
        } 
  
        public Role findRole(string roleId) 
        { 
            return authorizationManager.findRole(roleId); 
        } 
  
        static void Main(string[] args) 
        { 
            ImpersonationExample ie = new ImpersonationExample("http://localhost:5555"); 
            ie.AuthenticateOnBehalf( 
                 "administrator", //The Super user which has the required impersonation permission 
                 "password", // Password of the super user as referred above 
                 "bob", //Cannonical name of the user to impersonate 
                 "testdomain" //Domain of the user to impersonate 
                 ); 
          
         Role r = ie.findRole("BASIC_ROLE_ADMINISTRATOR"); 
            System.Console.WriteLine("Role "+r.name); 
     } 
 }

Às vezes, ocorrem problemas ao invocar determinadas operações dos serviços da AEM Forms usando serviços da Web. O objetivo desta discussão é identificar essas questões e fornecer uma solução, se disponível.

Chamada assíncrona de operações de serviço

Se você tentar invocar de forma assíncrona uma operação de serviço do AEM Forms, como a operação htmlToPDF do Gerar PDF, um SoapFaultException ocorrerá. Para resolver esse problema, crie um arquivo XML de vínculo personalizado que mapeie o elemento ExportPDF_Result e outros elementos em classes diferentes. O XML a seguir representa um arquivo de vínculo personalizado.

 <bindings     
        xmlns:xsd="https://www.w3.org/2001/XMLSchema" 
        xmlns:jxb="https://java.sun.com/xml/ns/jaxb" jxb:version="1.0" 
        xmlns:wsdl="https://schemas.xmlsoap.org/wsdl/" 
      wsdlLocation="http://localhost:8080/soap/services/GeneratePDFService?wsdl&async=true&lc_version=9.0.0" 
        xmlns="https://java.sun.com/xml/ns/jaxws"> 
        <enableAsyncMapping>false</enableAsyncMapping> 
        <package name="external_customize.client"/> 
        <enableWrapperStyle>true</enableWrapperStyle> 
        <bindings node="/wsdl:definitions/wsdl:types/xsd:schema[@targetNamespace='https://adobe.com/idp/services']/xsd:element[@name='ExportPDF_Result']">            
            <jxb:class name="ExportPDFAsyncResult">             
            </jxb:class> 
        </bindings> 
        <bindings node="/wsdl:definitions/wsdl:types/xsd:schema[@targetNamespace='https://adobe.com/idp/services']/xsd:element[@name='CreatePDF_Result']">            
            <jxb:class name="CreatePDFAsyncResult">             
            </jxb:class> 
        </bindings> 
        <bindings node="/wsdl:definitions/wsdl:types/xsd:schema[@targetNamespace='https://adobe.com/idp/services']/xsd:element[@name='HtmlToPDF_Result']">            
            <jxb:class name="HtmlToPDFAsyncResult">             
            </jxb:class> 
        </bindings> 
        <bindings node="/wsdl:definitions/wsdl:types/xsd:schema[@targetNamespace='https://adobe.com/idp/services']/xsd:element[@name='OptimizePDF_Result']">            
            <jxb:class name="OptimizePDFAsyncResult">             
            </jxb:class> 
        </bindings> 
        <!--bindings node="//wsdl:portType[@name='GeneratePDFService']/wsdl:operation[@name='HtmlToPDF_Result']">               
            <jxb:class name="HtmlToPDFAsyncResult"/>             
        </bindings--> 
 </bindings>

Use esse arquivo XML ao criar arquivos proxy Java usando JAX-WS. (Consulte Criação de classes proxy Java usando JAX-WS.)

Faça referência a esse arquivo XML ao executar a ferramenta JAX-WS (wsimport.exe) usando a opção de linha de comando - b. Atualize o elemento wsdlLocation no arquivo XML de vínculo para especificar o URL do AEM Forms.

Para garantir que a invocação assíncrona funcione, modifique o valor do URL do ponto final e especifique async=true. Por exemplo, para arquivos proxy Java criados com JAX-WS, especifique o seguinte para o BindingProvider.ENDPOINT_ADDRESS_PROPERTY.

https://server:port/soap/services/ServiceName?wsdl&async=true&lc_version=9.0.0

A lista a seguir especifica outros serviços que precisam de um arquivo de vínculo personalizado quando invocados de forma assíncrona:

  • PDFG3D
  • Gerenciador de tarefas
  • Gerenciador de aplicativos
  • Gerenciador de diretórios
  • Distiller
  • Rights Management
  • Gerenciamento de documentos

Diferenças nos servidores de aplicativos J2EE

Às vezes, uma biblioteca de proxy criada usando um servidor de aplicativos J2EE específico não chama com êxito o AEM Forms que está hospedado em um servidor de aplicativos J2EE diferente. Considere uma biblioteca de proxy que é gerada usando o AEM Forms que é implantada no WebSphere. Esta biblioteca de proxy não pode invocar com êxito os serviços da AEM Forms implantados no Servidor de Aplicativos JBoss.

Alguns tipos de dados complexos do AEM Forms, como PrincipalReference, são definidos de forma diferente quando o AEM Forms é implantado no WebSphere, em comparação com o JBoss Application Server. As diferenças nos JDKs usados pelos diferentes serviços de aplicativos do J2EE são o motivo das diferenças nas definições de WSDL. Como resultado, use bibliotecas de proxy geradas no mesmo servidor de aplicativos J2EE.

Acesso a vários serviços usando serviços da Web

Devido a conflitos de namespace, objetos de dados não podem ser compartilhados entre vários WSDLs de serviço. Diferentes serviços podem compartilhar tipos de dados e, portanto, os serviços compartilham a definição desses tipos nas WSDLs. Por exemplo, não é possível adicionar dois assemblies cliente .NET que contêm um tipo de dados BLOB ao mesmo projeto cliente .NET. Se você tentar fazer isso, ocorrerá um erro de compilação.

A lista a seguir especifica os tipos de dados que não podem ser compartilhados entre vários WSDLs de serviço:

  • User
  • Principals
  • PrincipalReference
  • Groups
  • Roles
  • BLOB

Para evitar esse problema, é recomendável qualificar totalmente os tipos de dados. Por exemplo, considere um aplicativo .NET que faça referência ao serviço Forms e ao serviço de assinatura usando uma referência de serviço. Ambas as referências de serviço conterão uma classe BLOB. Para usar uma instância BLOB, qualifique totalmente o objeto BLOB ao declará-lo. Essa abordagem é mostrada no seguinte exemplo de código. Para obter informações sobre este exemplo de código, consulte Assinatura digital do Forms interativo.

O exemplo de código C# a seguir assina um formulário interativo renderizado pelo serviço Forms. O aplicativo cliente tem duas referências de serviço. A instância BLOB associada ao serviço Forms pertence ao namespace SignInteractiveForm.ServiceReference2. Da mesma forma, a instância BLOB associada ao serviço de assinatura pertence ao namespace SignInteractiveForm.ServiceReference1. O formulário interativo assinado é salvo como um arquivo PDF chamado LoanXFASigned.pdf.

 ???/** 
     * Ensure that you create a .NET project that uses  
     * MS Visual Studio 2008 and version 3.5 of the .NET 
     * framework. This is required to invoke a  
     * AEM Forms service using MTOM. 
     * 
     * For information, see "Invoking AEM Forms using MTOM" in Programming with AEM forms   
     */ 
 using System; 
 using System.Collections.Generic; 
 using System.Linq; 
 using System.Text; 
 using System.ServiceModel; 
 using System.IO; 
  
 //A reference to the Signature service  
 using SignInteractiveForm.ServiceReference1; 
  
 //A reference to the Forms service  
 using SignInteractiveForm.ServiceReference2; 
  
 namespace SignInteractiveForm 
 { 
        class Program 
        { 
            static void Main(string[] args) 
            { 
                try 
                { 
                    //Because BLOB objects are used in both service references 
                    //it is necessary to fully-qualify the BLOB objects 
  
                    //Retrieve the form -- invoke the Forms service 
                    SignInteractiveForm.ServiceReference2.BLOB formData = GetForm(); 
  
                    //Create a BLOB object associated with the Signature service 
                    SignInteractiveForm.ServiceReference1.BLOB sigData = new SignInteractiveForm.ServiceReference1.BLOB(); 
  
                    //Transfer the byte stream from one Forms BLOB object to the  
                    //Signature BLOB object 
                    sigData.MTOM = formData.MTOM; 
  
                    //Sign the Form -- invoke the Signature service 
                    SignForm(sigData); 
                } 
                catch (Exception ee) 
                { 
                    Console.WriteLine(ee.Message); 
                } 
            } 
  
            //Creates an interactive PDF form based on a XFA form - invoke the Forms service 
            private static SignInteractiveForm.ServiceReference2.BLOB GetForm() 
            { 
  
                try 
                { 
                    //Create a FormsServiceClient object 
                    FormsServiceClient formsClient = new FormsServiceClient(); 
                    formsClient.Endpoint.Address = new System.ServiceModel.EndpointAddress("https://hiro-xp:8080/soap/services/FormsService?blob=mtom"); 
  
                    //Enable BASIC HTTP authentication 
                    BasicHttpBinding b = (BasicHttpBinding)formsClient.Endpoint.Binding; 
                    b.MessageEncoding = WSMessageEncoding.Mtom; 
                    formsClient.ClientCredentials.UserName.UserName = "administrator"; 
                    formsClient.ClientCredentials.UserName.Password = "password"; 
                    b.Security.Transport.ClientCredentialType = HttpClientCredentialType.Basic; 
                    b.Security.Mode = BasicHttpSecurityMode.TransportCredentialOnly; 
                    b.MaxReceivedMessageSize = 2000000; 
                    b.MaxBufferSize = 2000000; 
                    b.ReaderQuotas.MaxArrayLength = 2000000; 
  
                    //Create a BLOB to store form data 
                    SignInteractiveForm.ServiceReference2.BLOB formData = new SignInteractiveForm.ServiceReference2.BLOB(); 
                    SignInteractiveForm.ServiceReference2.BLOB pdfForm = new SignInteractiveForm.ServiceReference2.BLOB(); 
  
                    //Specify a XML form data 
                    string path = "C:\\Adobe\Loan.xml"; 
                    FileStream fs = new FileStream(path, FileMode.Open); 
  
                    //Get the length of the file stream  
                    int len = (int)fs.Length; 
                    byte[] ByteArray = new byte[len]; 
  
                    fs.Read(ByteArray, 0, len); 
                    formData.MTOM = ByteArray; 
  
                    //Specify a XML form data 
                    string path2 = "C:\\Adobe\LoanSigXFA.pdf"; 
                    FileStream fs2 = new FileStream(path2, FileMode.Open); 
  
                    //Get the length of the file stream  
                    int len2 = (int)fs2.Length; 
                    byte[] ByteArray2 = new byte[len2]; 
  
                    fs2.Read(ByteArray2, 0, len2); 
                    pdfForm.MTOM = ByteArray2; 
  
                    PDFFormRenderSpec renderSpec = new PDFFormRenderSpec(); 
                    renderSpec.generateServerAppearance = true; 
  
                    //Set out parameter values 
                    long pageCount = 1; 
                    String localValue = "en_US"; 
                    FormsResult result = new FormsResult(); 
  
                    //Render an interactive PDF form 
                    formsClient.renderPDFForm2( 
                        pdfForm, 
                        formData, 
                        renderSpec, 
                        null, 
                        null, 
                        out pageCount, 
                        out localValue, 
                        out result); 
  
                    //Write the data stream to the BLOB object 
                    SignInteractiveForm.ServiceReference2.BLOB outForm = result.outputContent; 
                    return outForm; 
                } 
                catch (Exception ee) 
                { 
                    Console.WriteLine(ee.Message); 
                } 
                return null; 
            } 
  
            //Sign the form -- invoke the Signature service 
            private static void SignForm(SignInteractiveForm.ServiceReference1.BLOB inDoc) 
            { 
  
                try 
                { 
                    //Create a SignatureServiceClient object 
                    SignatureServiceClient signatureClient = new SignatureServiceClient(); 
                    signatureClient.Endpoint.Address = new System.ServiceModel.EndpointAddress("https://hiro-xp:8080/soap/services/SignatureService?blob=mtom"); 
  
                    //Enable BASIC HTTP authentication 
                    BasicHttpBinding b = (BasicHttpBinding)signatureClient.Endpoint.Binding; 
                    b.MessageEncoding = WSMessageEncoding.Mtom; 
                    signatureClient.ClientCredentials.UserName.UserName = "administrator"; 
                    signatureClient.ClientCredentials.UserName.Password = "password"; 
                    b.Security.Transport.ClientCredentialType = HttpClientCredentialType.Basic; 
                    b.Security.Mode = BasicHttpSecurityMode.TransportCredentialOnly; 
                    b.MaxReceivedMessageSize = 2000000; 
                    b.MaxBufferSize = 2000000; 
                    b.ReaderQuotas.MaxArrayLength = 2000000; 
  
                    //Specify the name of the signature field 
                    string fieldName = "form1[0].grantApplication[0].page1[0].SignatureField1[0]"; 
  
                    //Create a Credential object 
                    Credential myCred = new Credential(); 
                    myCred.alias = "secure"; 
  
                    //Specify the reason to sign the document 
                    string reason = "The document was reviewed"; 
  
                    //Specify the location of the signer 
                    string location = "New York HQ"; 
  
                    //Specify contact information 
                    string contactInfo = "Tony Blue"; 
  
                    //Create a PDFSignatureAppearanceOptions object  
                    //and show date information 
                    PDFSignatureAppearanceOptionSpec appear = new PDFSignatureAppearanceOptionSpec(); 
                    appear.showDate = true; 
  
                    //Sign the PDF document 
                    SignInteractiveForm.ServiceReference1.BLOB signedDoc = signatureClient.sign( 
                        inDoc, 
                        fieldName, 
                        myCred, 
                        HashAlgorithm.SHA1, 
                        reason, 
                        location, 
                        contactInfo, 
                        appear, 
                        true, 
                        null, 
                        null, 
                        null); 
  
                    //Populate a byte array with BLOB data that represents the signed form 
                    byte[] outByteArray = signedDoc.MTOM; 
  
                    //Save the signed PDF document 
                    string fileName = "C:\\Adobe\LoanXFASigned.pdf"; 
                    FileStream fs2 = new FileStream(fileName, FileMode.OpenOrCreate); 
  
                    //Create a BinaryWriter object 
                    BinaryWriter w = new BinaryWriter(fs2); 
                    w.Write(outByteArray); 
                    w.Close(); 
                    fs2.Close(); 
                } 
  
                catch (Exception ee) 
                { 
                    Console.WriteLine(ee.Message); 
                } 
            } 
        } 
 } 
  
 

Serviços que começam com a letra I produzem arquivos proxy inválidos

O nome de algumas classes proxy geradas pelo AEM Forms está incorreto ao usar o Microsoft .Net 3.5 e o WCF. Esse problema ocorre quando as classes proxy são criadas para IBMFilenetContentRepositoryConnector, IDPSchedulerService ou qualquer outro serviço cujo nome começa com a letra I. Por exemplo, o nome do cliente gerado no caso de IBMFileNetContentRepositoryConnector é BMFileNetContentRepositoryConnectorClient. A letra I está ausente na classe de proxy gerada.

Nesta página