Dimensões desnormalizadas

Uma dimensão denormal tem uma relação um para um com sua dimensão contável pai.

Você definiria uma dimensão denormal sempre que a dimensão desejada contivesse um elemento exclusivo para cada elemento do pai. Por exemplo, EMail Address é uma dimensão denormal com um pai de Visitante. Cada Visitante tem um endereço de email, e cada elemento na dimensão Endereço de email é o endereço de email de um único visitante. Mesmo que dois visitantes tenham o mesmo endereço de email, os endereços são elementos distintos da dimensão Endereço de email.

É possível usar dimensões denormal em qualquer visualização de tabela, em tabelas de detalhes ou para criar filtros. Além disso, você pode usar dimensões denormal com a funcionalidade de exportação de segmento do servidor do Data Workbench para exportar valores de campos (como Tracking ID ou EMail Address) que têm muitos valores. Como todos os dados de segmento que você deseja exportar devem ser definidos como uma dimensão dentro do perfil, você deve criar uma dimensão denormal que armazene as sequências de caracteres brutas dos dados do campo.

OBSERVAÇÃO

Ao usar uma dimensão denormal em uma tabela ou outra visualização que espera uma dimensão normal, uma dimensão denormal derivada é criada automaticamente. A dimensão denormal derivada tem uma relação um para muitos com a dimensão pai.

Para obter informações sobre a visualização e os filtros detalhados da tabela, consulte o capítulo Visualizações de análise no Guia de usuário de Data Workbench. Para obter informações sobre a exportação de segmentos, consulte o capítulo Configuração da interface e recursos de análise no Guia do usuário do Data Workbench.

OBSERVAÇÃO

As dimensões denormal podem ser muito caras em tempo de consulta e espaço em disco. Uma dimensão denormal com pai Page Viewe uma string média de entrada de 50 bytes poderia adicionar 25 GB de dados aos buffers em um conjunto de dados típico e grande, equivalente a cerca de 13 dimensões de visualização de página simples ou numéricas, ou cerca de 125 dimensões de nível de sessão. Nunca adicione uma dimensão denormal a um conjunto de dados sem uma avaliação cuidadosa do impacto no desempenho.

As dimensões denormal são definidas pelos seguintes parâmetros:

Parâmetro Descrição Padrão
Nome Nome descritivo da dimensão conforme ela aparece no Data Workbench. O nome da dimensão não pode incluir um hífen (-).
Comentários Opcional. Observações sobre a dimensão estendida.
Condição As condições em que a relação entre o Pai e o valor do campo de entrada deve ser criada.
Oculto Determina se a dimensão aparece na interface do Data Workbench. Por padrão, esse parâmetro é definido como false. Se, por exemplo, a dimensão for usada apenas como a base de uma métrica, você poderá definir esse parâmetro como true para ocultar a dimensão na exibição do Data Workbench. true
Entrada O valor relacionado à dimensão pai (Pai).
Elementos normalizados Um parâmetro de ajuste de desempenho que especifica o número de elementos de dimensão cujos nomes devem ser armazenados na memória do sistema. Configurar esse parâmetro para um valor mais alto faz com que uma dimensão denormal use mais RAM, mas resulta em consultas mais rápidas. O valor padrão é 16383.
Operação

As operações disponíveis são as seguintes:

  • PRIMEIRO NÃO EM BRANCO: O primeiro valor de entrada que não está em branco é usado, independentemente de ser proveniente da primeira entrada de log. Se Input for um campo vetorial, a primeira linha no vetor para a entrada de log relevante será usada.
  • PRIMEIRA LINHA: O valor da primeira entrada de log relacionada ao elemento da dimensão pai é usado, mesmo se a entrada estiver em branco. Se Input for um campo vetorial, a primeira linha no vetor para a entrada de log relevante será usada. Se esse valor estiver em branco ou não for um número, ou se a entrada de log relevante não atender à condição da dimensão, nenhum valor será usado.
  • ÚLTIMO NONBLANK: O último valor de entrada que não está em branco é usado, independentemente de ser proveniente da última entrada de log. Se Input for um campo vetorial, a primeira linha no vetor para a entrada de log relevante será usada.
  • ÚLTIMA LINHA: O valor da última entrada de log relacionada ao elemento da dimensão pai é usado, mesmo se a entrada estiver em branco. Se Input for um campo vetorial, a primeira linha no vetor para a entrada de log relevante será usada. Se esse valor estiver em branco ou não for um número, ou se a entrada de log relevante não atender à condição da dimensão, nenhum valor será usado.

Observação: Se Operation não gerar valor, um valor em branco ("") será usado.

Você deve especificar uma operação para garantir que a dimensão seja definida conforme esperado.

Pai O nome da dimensão pai. Qualquer dimensão contável pode ser uma dimensão principal.

A dimensão denormal mostrada neste exemplo pega todos os dados no campo x-trackingid como entrada e inclui em uma dimensão chamada ID de visitante. Para um segmento de visitantes criado, é possível exportar os dados na dimensão ID do visitante (bem como em qualquer outra dimensão definida).

Nesta página