Configurar trabalhos de importação

O Adobe Campaign permite importar dados para o banco de dados de um ou mais arquivos no texto, no formato CSV, TAB ou XML. Esses arquivos são associados a uma tabela (principal ou vinculada) e cada campo do arquivo de origem é associado a um campo do banco de dados.

OBSERVAÇÃO

É possível importar dados sem mapeá-los com os dados do banco de dados usando a função Import a list. Os dados podem ser usados exclusivamente em workflows por meio do objeto Read list. Para obter mais informações, consulte esta página.

O assistente de importação permite configurar a importação, definir suas opções (como transformação de dados) e iniciar a execução. É uma série de telas cujo conteúdo depende do tipo de importação (simples ou múltipla) e dos direitos do operador.

O assistente de importação é exibido após a criação de um novo trabalho de importação (consulte Criar trabalhos de importação e exportação.

OBSERVAÇÃO

Se você utilizar um servidor da Web IIS, uma configuração pode ser necessária para autorizar o upload de arquivos grandes (>28 MB). Para saber mais, consulte esta seção.

Arquivo de origem

No arquivo de origem, cada linha coincide com um registro. Os dados em registros são separados por delimitadores (espaço, tabulação, caractere etc.). Isso significa que os dados são recuperados no formulário de colunas e cada coluna é associada a um campo do banco de dados.

Etapa 1 - Escolher o template de importação

Ao iniciar o assistente de importação, primeiro é necessário selecionar um template. Como exemplo, para configurar a importação de destinatários que receberam um boletim informativo, siga as etapas abaixo:

  1. Selecione a pasta Profiles and Targets > Job > Generic imports and exports.

  2. Clique em New e em Import para criar o template de importação.

  3. Clique na seta à direita do campo Import template para selecionar o modelo ou clique em Select link para navegar na árvore.

    O modelo nativo é New text import. Este template não deve ser modificado, mas você pode duplicá-lo para configurar um novo template dependendo de suas necessidades. Por padrão, os modelos de importação são salvos no nó Profiles and targets > Templates > Job templates.

  4. Insira um nome para essa importação no campo Label. Você pode adicionar uma descrição.

  5. Selecione o tipo de importação no campo apropriado. Há dois tipos possíveis de importação: Simple import para importar apenas um arquivo e Multiple import para importar vários arquivos em uma única execução.

    Para uma importação múltipla, selecione Multiple import na lista suspensa Import type na primeira tela do assistente de importação.

  6. Especifique os campos que deseja importar clicando em Add.

    Toda vez que um arquivo é adicionado, a tela do assistente File to import é exibida. Consulte a seção Step 2 - Source file selection e siga as etapas do assistente para definir as opções de importação como para uma importação simples.

    OBSERVAÇÃO

    Importações múltiplas só devem atender às necessidades específicas e não são recomendadas.

Parâmetros avançados

O link Advanced parameters permite acessar as seguintes opções:

  • General Guia

    • Stop execution if there are too many rejects

      Essa opção é selecionada por padrão. Você pode desmarcá-la se quiser continuar a executar a importação independentemente do número de rejeições. Por padrão, a execução é interrompida se as primeiras 100 linhas forem rejeitadas.

    • Trace mode

      Selecione essa opção para controlar a execução da importação para cada linha.

    • Start the job in a detached process

      Essa opção é selecionada por padrão. Permite desanexar a execução da importação para que não afete outras tarefas em andamento no banco de dados.

    • Do not update enumerations

      Selecione essa opção para evitar o enriquecimento da lista de valores enumerados no banco de dados. Consulte Gerenciar enumerações.

  • Variables Guia

    É possível definir variáveis associadas à tarefa que será acessível nos editores de consulta e campos calculados. Para criar uma variável, clique em Add e utilize o editor de variáveis.

    IMPORTANTE

    A guia Variables é somente para uso de programação do tipo fluxo de trabalho e deve ser configurada apenas por usuários especialistas.

Etapa 2 - Seleção de arquivo de origem

O arquivo de origem pode estar no formato de texto (txt, csv, guia, colunas fixas) ou xml.

Por padrão, Upload file on the server está selecionado. Clique na pasta à direita do campo Local file para navegar no disco local e selecione o arquivo a ser importado. É possível desmarcar essa opção para inserir o caminho de acesso e o nome do arquivo a ser importado se ele estiver no servidor.

Quando o arquivo tiver sido especificado, você poderá exibir os respectivos dados na seção inferior da janela clicando em Auto-detect format. Essa visualização exibe as 200 primeiras linhas do arquivo de origem.

Use as opções oferecidas acima desta exibição para configurar a importação. Os parâmetros definidos por meio dessas opções são transferidos para a visualização. As seguintes opções estão disponíveis:

  • Click here to change the file format… permite verificar o formato do arquivo e ajustar a configuração.
  • Update on server… permite transferir o arquivo local para o servidor. Essa opção só estará disponível se Upload file on the server estiver selecionada.
  • Download está disponível somente se o arquivo foi carregado no servidor.
  • Auto-detect format é utilizado para reinicializar o formato da fonte de dados. Essa opção permite reaplicar os formatos originais aos dados que foram formatados por meio da Click here to change the file format….
  • O link Advanced parameters permite filtrar os dados de origem e acessar as opções avançadas. Nessa tela, é possível importar apenas parte do arquivo. É possível definir um filtro, por exemplo, para importar usuários do tipo ‘Prospecto’ ou 'Cliente' de acordo com o valor da linha correspondente. Essas opções devem ser usadas somente por usuários especialistas do JavaScript.

Alterar o formato de arquivo

A opção Click here to change the file format… permite formatar os dados do arquivo de origem e, em particular, especificar o separador de colunas e o tipo de dados para cada campo. Essa configuração é executada por meio da seguinte janela:

Esta etapa permite descrever como os valores dos campos de arquivo devem ser lidos. Por exemplo, as informações de uma data, a Data ou Data + Hora podem ser associadas a um formato (dd/mm/aaaa, mm/dd/aa etc.). Se não correspondem ao formato esperado, os dados de entrada são rejeitados durante a importação.

É possível ver o resultado da configuração na zona de visualização na parte inferior da janela.

Clique em OK para salvar a formatação e em Next para exibir a próxima etapa.

Etapa 3 - Mapeamento de campo

Em seguida, você deve selecionar o esquema de destino e mapear os dados de cada coluna em campos no banco de dados.

  • O campo Destination schema permite selecionar o esquema no qual os dados serão importados. Essas informações são obrigatórias. Clique no ícone Select link para selecionar um dos esquemas existentes. Clique em Edit link para exibir o conteúdo da tabela selecionada.

  • A tabela central mostra todos os campos definidos no arquivo de origem. Selecione os campos a serem importados para associar um arquivo de destino a eles. Esses campos podem ser mapeados manual ou automaticamente.

    Para mapear um campo manualmente, clique na caixa de seleção para selecionar o campo de origem e clique na segunda coluna para ativar a célula correspondente ao campo selecionado. Em seguida, clique no ícone Edit expression para exibir todos os campos da tabela atual. Selecione o campo de destino e clique em OK para validar o mapeamento.

    Para associar os campos de origem e de destino automaticamente, clique no ícone Guess the destination fields à direita da lista de campos. Os campos propostos podem ser modificados se necessário.

    IMPORTANTE

    O resultado desta operação deve sempre ser validado antes de você prosseguir para a próxima etapa.

  • É possível aplicar uma transformação aos campos importados. Para fazer isso, clique na célula da coluna Transformation relacionada ao campo e selecione a transformação a ser aplicada.

    IMPORTANTE

    A transformação é aplicada no momento da importação. Se as restrições no campo de destino tiverem sido definidas, no entanto (no exemplo acima, no campo @lastname), essas restrições terão prioridade.

  • Pode-se adicionar campos calculados usando o ícone apropriado, localizado à direita da tabela central. Os campos calculados permitem executar transformações complexas, adicionar colunas virtuais ou mesclar os dados de várias colunas. Consulte as seções a seguir para obter detalhes sobre as diversas possibilidades.

Campos calculados

Os campos calculados são novas colunas adicionadas ao arquivo de origem e calculadas de outras colunas. Os campos calculados podem então ser associados a campos do banco de dados do Adobe Campaign. As operações de reconciliação, no entanto, não são possíveis em campos calculados.

Existem quatro tipos de campos calculados:

  • Fixed string: o valor do campo calculado é o mesmo para todas as linhas do arquivo de origem. Permite definir o valor de um campo dos registros inseridos ou atualizados. Por exemplo, você pode definir um marcador para "sim" para todos os registros importados.

  • String with JavaScript tags: o valor do campo calculado é uma cadeia de caracteres que contém comandos JavaScript.

  • JavaScript expression: o valor do campo calculado é o resultado da avaliação de uma função JavaScript. O valor retornado pode ser um número, uma data etc.

  • Enumeration: o valor do campo é atribuído de acordo com um valor contido no arquivo de origem. O editor permite especificar a coluna de origem e inserir a lista de valores de enumeração, como no exemplo a seguir:

    A guia Preview permite visualizar o resultado da configuração definida. Aqui, a coluna Subscription foi adicionada. O valor é calculado a partir do campo Status.

Etapa 4 - Reconciliação

A etapa de reconciliação do assistente de importação permite definir o modo de reconciliação dos dados do arquivo com os dados existentes no banco de dados e definir as regras de prioridade entre os dados do arquivo e os dados do banco de dados. A janela de configuração tem esta aparência:

A seção central da tela contém uma árvore com os campos e as tabelas do banco de dados do Adobe Campaign ao qual os dados serão importados.

As opções especiais estão disponíveis para cada nó (tabela ou campo). Quando você clica no nó relacionado na lista, seus parâmetros e uma breve descrição aparecem abaixo. O comportamento definido para cada elemento é exibido na coluna Behavior correspondente.

Tipos de operação

Para cada tabela relacionada à importação, deve-se definir o tipo de operação. As seguintes operações estão disponíveis para o elemento principal do banco de dados:

  • Update or insertion: atualiza o registro se ele existir no banco de dados, caso contrário, o criará.
  • Insertion: insere registros no banco de dados.
  • Update: atualiza somente registros existentes (ignora outros registros).
  • Reconciliation only: procura o registro no banco de dados, mas não executa uma atualização. Por exemplo, permite associar a pasta de destinatários a ser importada de acordo com uma coluna do arquivo sem atualizar os dados nas pastas.
  • Deletion: permite destruir registros no banco de dados.

As seguintes opções estão disponíveis para cada campo na tabela em relação à importação:

  • Update (empty) if source value is empty: no caso de uma atualização, o valor no campo removerá o valor do banco de dados se o campo estiver vazio no arquivo de origem. Caso contrário, o campo do banco de dados será mantido.
  • Update only if destination is empty: o valor do arquivo de origem não substitui o valor no campo do banco de dados, a menos que o campo do banco de dados esteja vazio. Nesse caso, ele recebe o valor do arquivo de origem.
  • Update the field only when the record is inserted: durante uma operação de atualização ou inserção, somente os registros do arquivo de origem que são novos serão importados.
OBSERVAÇÃO

A definição de uma chave de reconciliação é sempre obrigatória, exceto no caso de inserção sem desduplicação.

Chaves de reconciliação

Pelo menos uma chave de reconciliação deve ser preenchida para gerenciar a correção de duplicidade.

Uma chave de reconciliação é um conjunto de campos usados para identificar um registro. Por exemplo, para importar recipients, a chave de reconciliação pode ser o número da conta, o campo "email" ou os campos "Last name, First name, Company" etc.

Nesse caso, para descobrir se uma linha de um arquivo corresponde a um destinatário existente no banco de dados, o mecanismo de importação compara os valores do arquivo com aqueles do banco de dados para todos os campos da chave. Quando os campos são específicos de um registro, uma comparação entre os dados de origem e de destino pode ser executada, garantindo a integridade dos dados após a importação. Uma segunda chave de reconciliação pode ser preenchida para a mesma tabela; ela é usada para as linhas cuja primeira chave está vazia.

Evite escolher um campo que possa ser modificado durante a importação; se isso ocorrer, o mecanismo poderá criar registros adicionais.

OBSERVAÇÃO

Para uma importação de destinatário, o identificador da pasta selecionada é adicionado implicitamente à chave.

A reconciliação é executada assim apenas nessa pasta (a menos que nenhuma pasta seja selecionada).

Desduplicação

OBSERVAÇÃO

O "duplo" é um item que existe duas ou mais vezes no arquivo a ser importado.

O "duplicado" é um item que existe no arquivo a ser importado e também no banco de dados.

O campo Management of doubles permite a configuração da desduplicação de dados. A desduplicação emite registros que aparecem várias vezes no arquivo de origem (ou nos arquivos de origem no caso de uma importação de múltiplos arquivos), ou seja, linhas para as quais os campos da chave de reconciliação são idênticos.

  • O gerenciamento de duplicados no modo Update (o modo padrão) não executa a desduplicação. Assim, o último registro tem prioridade (porque atualiza os dados dos registros anteriores). A contagem de duplicados não é executada nesse modo.
  • O gerenciamento de duplicados no modo Ignore ou Reject entity exclui duplicatas da importação. Nesse caso, nenhum registro é importado.
  • No modo Reject entity, o elemento não é importado e um erro é gerado nos logs de importação.
  • No modo Ignore, o elemento não é importado, mas não é mantido nenhum registro do erro. Esse modo permite otimizar o desempenho.
IMPORTANTE

A desduplicação é executada somente na memória. Portanto, o tamanho de uma importação com desduplicação é limitado. O limite depende de vários parâmetros (capacidade do servidor de aplicação, atividade, número de campos na chave etc.). O tamanho máximo de uma desduplicação é da ordem de um milhão de linhas.

A desduplicação emite um registro presente no arquivo de origem e no banco de dados. Ela trata de operações de somente atualização (ou seja, Update and insertion ou Update). A opção Duplicate management permite atualizar ou ignorar o registro se estiver tanto no arquivo de origem quanto no banco de dados. A opção Update or insert based on origin pertence ao módulo opcional e não pode ser usada em um contexto padrão.

As opções Reject e Ignore operam como apresentado acima.

Em caso de erro

A maioria das operações de transferência de dados gera vários tipos de erros (formato de linha incoerente, endereço de email inválido etc.). Todos os erros e avisos gerados pelo mecanismo de importação são armazenados e vinculados à instância de importação.

Os detalhes dessas recusas podem ser exibidos por meio da guia Rejects.

Há dois tipos de recusas (o tipo é exibido na coluna Connector):

  • Recusas dos erros em relação ao conector de texto que ocorrem enquanto a linha de arquivo está sendo processada (campo calculado, análise de dados etc.). Nessa situação, no caso de um erro, a linha inteira é sempre recusada.
  • Rejeições do conector do banco de dados são relacionados a erros ocorridos durante a reconciliação ou escrita dos dados no banco de dados. No caso de uma importação para várias tabelas, a rejeição pode ocorrer apenas em uma parte do registro (por exemplo, para uma importação de destinatários e eventos associados, um erro pode impedir a atualização de um evento sem recusar o destinatário).

Na página de reconciliação de dados, é possível definir o campo do tipo de gerenciamento de erros desejado por campo e tabela por tabela.

  • Ignore and log a warning: todos os campos são importados para o banco de dados, exceto aquele que gerou um erro.

  • Reject parent element: a linha inteira do registro é rejeitada, não apenas o campo que causou um erro.

  • Reject all elements: a importação é interrompida e todos os elementos do registro são recusados.

A árvore na tela de rejeição de uma instância de importação indica quais campos foram rejeitados e onde ocorreram os erros.

Você pode gerar um arquivo contendo esses registros por meio do ícone Export rejects:

Etapa 5 - Etapa adicional ao importar recipients

A próxima etapa do assistente de importação permite selecionar ou criar a pasta na qual os dados serão importados, mapear automaticamente destinatários importados com uma lista (nova ou existente) e assinar destinatários a um serviço.

OBSERVAÇÃO

Esta etapa aparece ao importar os destinatários somente e ao usar a tabela de destinatários padrão do Adobe Campaign (nms:recipient).

  • Clique nos links Edit para selecionar a pasta, a lista ou o serviço ao qual deseja associar ou assinar os recipients.

    1. Importação para uma pasta

      O link Edit… da seção Import into a folder permite selecionar ou criar a pasta para onde os recipients serão importados. Por padrão, se nenhuma partição for definida, os dados serão importados para a pasta padrão do operador.

      OBSERVAÇÃO

      A pasta padrão de um operador é a primeira pasta que o operador tem acesso de gravação. Saiba mais em Gerenciamento de acesso a pastas.

      Para selecionar a pasta de importação, clique na seta à direita do campo Folder e selecione a pasta correspondente. Você também pode usar o ícone Select link para exibir a árvore em uma nova janela ou criar uma nova pasta.

      Para criar uma nova pasta, selecione o nó no qual deseja adicionar uma pasta e clique com o botão direito do mouse. Selecione Create a new ‘Recipients’ folder.

      A pasta é adicionada abaixo do nó atual. Insira o nome da nova pasta, pressione Enter para confirmar, e depois clique em OK.

    2. Associar com uma lista

      O link Edit… na seção Add recipients to a list permite selecionar ou criar uma lista para onde os recipients serão importados.

      Você pode criar uma nova lista para esses destinatários clicando em Select link e depois em Create. A criação e o gerenciamento de listas são apresentados nesta seção.

      Você pode decidir adicionar os destinatários aos já presentes em uma lista ou para recriar a lista com os novos destinatários. Nesse caso, se a lista já continha destinatários, eles serão excluídos e substituídos pelos destinatários importados.

    3. Como assinar um serviço

      Para inscrever todos os recipients importados para um serviço de informações, clique no link Edit… da seção Subscribe recipients to a service para selecionar ou criar o serviço de informações ao qual os recipients serão inscritos. Você pode selecionar a opção Send a confirmation message: o conteúdo desta mensagem é definido no template do delivery associado ao serviço de assinatura.

      É possível criar um novo serviço para esses destinatários clicando em Select link e depois no ícone Create. O gerenciamento dos serviços de informação é apresentado nesta seção.

  • Use o campo Origin para adicionar informações sobre a origem dos recipients aos perfis. Essas informações são particularmente úteis na estrutura de uma importação múltipla.

Clique em Next para validar essa etapa e exibir a seguinte.

Etapa 6 - Iniciar a importação

A última etapa do assistente permite iniciar a importação de dados. Para fazer isso, clique no botão Start.

Você pode monitorar a execução do trabalho de importação (consulte Monitorar execução de trabalhos.

Nesta página